Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.147,72
    -496,59 (-2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Wall Street alerta para queda de liquidez a níveis de 2020

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Os mais céticos de Wall Street podem ter razão ao enxergar sinais de que a recuperação das ações na terça-feira é uma armadilha de mercado de baixa sem liquidez.

Nos últimos meses, as condições de negociação de ações e títulos pioraram à medida que gestores penam para conseguir comprar e vender grandes volume sem abalar os preços - uma situação que lembra o distúrbio da pandemia em 2020.

A liquidez, ou a facilidade de negociação, dos futuros do S&P 500 é preocupante, mesmo para os padrões do colapso causado pela Covid há mais de dois anos, de acordo com o JPMorgan. A capacidade do mercado de Treasuries de absorver grandes negócios também se aproxima de níveis precários, segundo dados do Goldman Sachs.

Embora a dificuldade de negocia ativos em 2020 tenham começado a diminuir em questão de semanas, para muitos em Wall Street, parece que o problema não vai acabar nunca este ano com o Federal Reserve pondo fim à era do dinheiro fácil.

“A profundidade do mercado não é muito melhor do que em março de 2020”, disse Nikolaos Panigirtzoglou, estrategista do JPMorgan. “Isso implica que a capacidade dos mercados de absorver pedidos relativamente grandes sem afetar significativamente o preço é muito baixa no momento.”

São avisos de cautela para os compradores de baixa que retornaram em todos os mercados na terça-feira com o S&P 500 em alta e Treasuries recuando.

Tudo, desde ações americanas e títulos globais até crédito corporativo, afundou neste ano. Isso reflete temores de que a campanha de aperto monetário do Fed para esfriar a inflação acabe prejudicando a economia dos EUA. Na semana passada, o principal indicador de renda variável ficou a 0,3 ponto percentual de um mercado de baixa, ou uma queda de 20% desde o último pico, o que geralmente é o precursor da recessão.

Com a elevada volatilidade de ativos cruzados, os formadores de mercado tornam-se avessos ao risco. O resultado é uma grande incompatibilidade entre o preço que os vendedores desejam para os ativos que estão desovando e o nível oferecido pelos dealers na compensação.

As coisas estão tão ruins que semana passada o Fed alertou para os riscos sistêmicos decorrentes da deterioração das condições de mercado.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos