Wall Street cai com aumento de temores por contágio bancário

Placa em frente à Bolsa de Valores de Nova York sinaliza Wall Street

(Reuters) - Os principais índices de Wall Street caíam nesta sexta-feira, com os investidores fugindo de ativos de risco devido a temores de que um contágio no setor bancário não tenha sido totalmente evitado, apesar das garantias de autoridades importantes.

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse na quinta-feira que medidas serão tomadas para manter os depósitos dos norte-americanos seguros, mas isso pouco ajudou a acalmar os nervos dos investidores sobre uma crise de liquidez no setor bancário que pode limitar os empréstimos e levar a economia a uma recessão severa.

Os comentários de Yellen ajudaram a conter a queda nas ações na sessão anterior, já que ela suavizou sua postura desde quarta-feira, quando irritou os investidores ao dizer que a garantia de todos os depósitos bancários não estava sendo considerado.

Ações de grandes bancos dos EUA, como JPMorgan Chase & Co , Wells Fargo e Bank of America caíam entre 1% e 2% no início das negociações.

Os papéis dos credores regionais First Republic Bank , PacWest Bancorp , Western Alliance Bancorp e Truist Financial Corp perdiam entre 1% a 5%.

O índice bancário do S&P 500 e o índice bancário regional KBW atingiram o nível mais baixo desde o final de 2020 na sessão anterior, caindo 1,6% e 1,2%, respectivamente.

As apostas dos operadores agora mudaram para uma pausa nos aumentos de juros dos EUA em maio, depois que o Fed sinalizou cautela sobre seu próximo movimento em meio à crise bancária global, desencadeada pela falência de dois bancos regionais.

Às 11:37 (de Brasília), o índice S&P 500 perdia 0,71%, a 3.920,61 pontos, enquanto o Dow Jones caía 0,39%, a 31.981,02 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite recuava 0,72%, a 11.702,65 pontos.

(Reportagem de Amruta Khandekar e Ankika)