Mercado fechado

Wall St emenda 3ª semana de queda com pressão de tecnologia

Por Caroline Valetkevitch
·2 minutos de leitura

Por Caroline Valetkevitch

(Reuters) - Os mercados de ações nos Estados Unidos fecharam em queda nesta sexta-feira, com papéis de tecnologia sendo vendidos pelo terceiro dia consecutivo, e todos os três principais índices acionários engataram a terceira semana consecutiva de perdas.

Para o Nasdaq, essa sequência de quedas semanais é a mais longa desde agosto de 2019. Já para S&P 500 e Dow Jones é a maior desde outubro de 2019.

Os papéis de Apple Inc, Microsoft Corp, Amazon.com Inc e Alphabet Inc. --que ajudaram a impulsionar o rali do mercado das mínimas de março-- estiveram entre os maiores obstáculos ao S&P 500 e ao Nasdaq nesta sexta-feira, enquanto o segmento de tecnologia do S&P 500 recuou 1,7%, maior pressão entre os setores do S&P 500. As ações da Apple recuaram 3,2%.

"Tivemos um pico do mercado em 2 de setembro e, em seguida, tivemos um declínio rápido, e muito disso veio das ações de tecnologia e das 'growth stocks' que estavam indo tão bem", disse Tom Martin, gestor sênior de portfólio da Globalt Investments em Atlanta.

As chamadas "growth stocks" são ações de empresas cujos resultados tendem a crescer mais que a média do mercado.

A sexta-feira marcou o vencimento trimestral das opções de ações dos EUA, futuros de índices de ações e contratos de opções de índices, evento conhecido como "quadruple witching", trazendo um maior volume de negociação no fechamento do mercado.

O volume nas bolsas dos EUA foi de 14,31 bilhões de ações, o maior desde o rebalanceamento pela FTSE Russell de seus índices, em junho.

O Dow Jones caiu 0,88%, para 27.657,42 pontos, o S&P 500 perdeu 1,12%, para 3.319,47 pontos, e o Nasdaq teve queda de 1,07%, para 10.793,28 pontos.

Na semana, o Dow Jones teve ligeira baixa (-0,03%), enquanto o S&P 500 caiu 0,7% e o Nasdaq cedeu 0,6%.

(Reportagem adicional de Sinead Carew, Shreyashi Sanyal e Devik Jain)