Mercado fechará em 4 h 22 min
  • BOVESPA

    112.940,80
    -1.236,75 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,19
    +1,18 (+1,46%)
     
  • OURO

    1.927,20
    -2,80 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    22.917,90
    -290,85 (-1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    518,77
    +1,76 (+0,34%)
     
  • S&P500

    4.052,31
    -8,12 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    33.942,57
    -6,84 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.762,91
    +1,80 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.049,75
    -57,00 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5017
    -0,0180 (-0,33%)
     

Wall Street cai após dados fortes do setor de serviços alimentarem temores sobre Fed

Operador trabalha na Bolsa de Valores de Nova York

Por Ankika Biswas e Johann M Cherian

(Reuters) - Os principais índices de Wall Street caíam nesta segunda-feira, depois que a atividade do setor de serviços melhor do que o esperado alimentou temores de que o Federal Reserve dos Estados Unidos possa manter sua trajetória de alta agressiva dos juros, mesmo em meio a expectativa de uma possível recessão no ano que vem.

Os dados mostraram que a atividade da indústria de serviços dos EUA acelerou inesperadamente em novembro, com recuperação do emprego, oferecendo mais evidências do impulso subjacente da economia.

Os dados vêm na esteira de uma pesquisa da semana passada que mostrou um crescimento de empregos e salários mais forte do que o esperado em novembro, desafiando as esperanças de que o Fed possa desacelerar o ritmo e a intensidade de seus aumentos de juros em meio aos recentes sinais de queda da inflação.

Os investidores veem uma chance de 89% de que o banco central dos EUA aumente as taxas de juros em 50 pontos-base na próxima semana, com o pico das taxas em maio de 2023.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que define as taxas, se reúne nos dias 13 e 14 de dezembro, a última reunião de um ano que viu o banco central tentar deter uma inflação nos maiores patamares em décadas com aumentos recordes nos juros.

O aperto agressivo da política monetária também gerou preocupações de uma desaceleração econômica, com JPMorgan, Citigroup e BlackRock entre aqueles que acreditam que uma recessão é provável em 2023.

Por volta de 13h20 (de Brasília), o índice Dow Jones recuava 0,76%, a 34.168,81 pontos. O S&P 500 cedia 1,09%, a 4.027,41 pontos, enquanto o Nasdaq caía 0,83%, a 11.366,24 pontos.

Todos os principais índices de Wall Street registraram uma segunda semana consecutiva de ganhos na semana passada, com o S&P 500 subindo 1,13%, o Dow ganhando 0,24% e o Nasdaq avançando 2,1%.