Mercado abrirá em 8 horas 1 minuto

Wall St recua com sinais de estagnação em retomada econômica e impasse sobre estímulo

Por Medha Singh e Shivani Kumaresan
·1 minuto de leitura
.
.

Por Medha Singh e Shivani Kumaresan

(Reuters) - Os mercados acionários dos Estados Unidos caíam nesta quinta-feira, com alta inesperada nos pedidos semanais de auxílio-desemprego exacerbando temores em relação a uma estagnação da recuperação econômica, um dia depois que o secretário do Tesouro do país, Steven Mnuchin, frustrou esperanças de mais ajuda fiscal antes da eleição.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 898 mil na semana encerrada em 10 de outubro, em dados com ajuste sazonal, contra leitura de 845 mil na semana anterior, informou o Departamento do Trabalho dos EUA nesta quinta-feira.

Um relatório separado mostrou que a atividade manufatureira no Estado de Nova York caiu mais do que o esperado em outubro.

Esperanças de outra rodada de auxílio fiscal para apoiar a economia doméstica ajudaram a alimentar a recente recuperação de Wall Street, levando o S&P 500 e o Nasdaq no início desta semana a ficar apenas 2% abaixo de suas máximas recordes para fechamento alcançadas em 2 de setembro.

"Tem sido uma espécie de montanha-russa, já que o mercado parece estar sendo direcionado principalmente pelo estagnado plano de estímulo e pelas preocupações sobre os balanços do quarto trimestre se não recebermos estímulo adicional após a eleição", disse Art Hogan, estrategista-chefe de mercado da National Securities.

Todos os principais setores do S&P caíam, com as ações de energia perdendo 2,5%, já que os preços do petróleo recuavam entre 2,6% e 3% devido a preocupações com a recuperação da demanda por combustível.

Às 12:05 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,8%, a 28.287 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 1,037931%, a 3.452 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 1,42%, a 11.601 pontos.