Mercado fechará em 3 h 8 min

Wall St fecha em queda por temores de novos bloqueios e provável atraso em estímulos

Por Herbert Lash
·2 minutos de leitura

Por Herbert Lash

NOVA YORK (Reuters) - Os principais índices de Wall Street tiveram fortes quedas nesta segunda-feira, conforme preocupações com novos bloqueios na Europa e possíveis atrasos em novos estímulos do Congresso aumentaram temores de que a economia dos EUA enfrente um caminho mais longo para a recuperação do que o esperado anteriormente.

A morte da juíza da Suprema Corte dos EUA Ruth Bader Ginsburg também pareceu tornar a aprovação de outro pacote de estímulo no Congresso menos provável antes da eleição presidencial de 3 de novembro, provocando grandes quedas no setor de saúde.

O Dow Jones caiu até 900 pontos, e o índice de volatilidade da CBOE --conhecido como VIX, um indicador de receio de Wall Street-- alcançou seu nível mais alto em quase duas semanas. O S&P 500 fechou 8,4% abaixo de sua máxima de 2 de setembro, depois de chegar a acumular queda de 9,8% na mínima desta sessão, flertando com território de correção --quando um ativo cai pelo menos 10% desde sua máxima recente.

As preocupações econômicas estão pesando mais sobre as ações, disse David Joy, estrategista-chefe de mercado da Ameriprise.

"Embora nada esteja sendo poupado, os grupos economicamente sensíveis são os mais atingidos", disse Joy, acrescentando que "Washington não parece estar mais perto de um possível quarto pacote de estímulo".

Durante semanas o Congresso tem permanecido em um impasse quanto ao tamanho e formato de outro projeto de lei de resposta ao coronavírus, além dos cerca de 3 trilhões de dólares já sancionados.

Wall Street têm sofrido fortes quedas últimas três semanas, com investidores se desfazendo de ações relacionadas ao setor de tecnologia, após uma recuperação impressionante que elevou o S&P 500 e o Nasdaq a novas máximas após ambos os índices terem despencado em março, quando as economias entraram em recessão.

Uma nova rodada de restrições aos negócios ameaçaria uma recuperação nascente e pressionaria ainda mais os mercados de ações. Os primeiros bloqueios em março levaram o S&P 500 a sofrer sua pior queda mensal desde a crise financeira global.

Em contraste com a desaceleração da semana passada, as quedas nesta segunda-feira foram lideradas por setores como industrial, de energia e financeiro, e não por ações de tecnologia.

O Dow Jones recuou 1,84%, para fechar em 27.147,7 pontos, o S&P 500 perdeu 1,16%, a 3.281,06 pontos, e o Nasdaq caiu 0,13%, para 10.778,80 pontos.