Mercado fechará em 34 mins
  • BOVESPA

    115.999,54
    -134,92 (-0,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.010,31
    +580,56 (+1,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,17
    +2,54 (+3,04%)
     
  • OURO

    1.732,90
    +30,90 (+1,82%)
     
  • BTC-USD

    20.091,80
    +585,33 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,08
    +10,65 (+2,39%)
     
  • S&P500

    3.776,21
    +97,78 (+2,66%)
     
  • DOW JONES

    30.200,94
    +710,05 (+2,41%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.602,00
    +316,25 (+2,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1606
    +0,0867 (+1,71%)
     

Wall St cai por temores sobre aperto monetário do Fed

Operador trabalha enquanto tela mostra cotação do Dow Jones na Bolsa de Valores de Nova York

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - Wall Street encerrou em forte baixa nesta quinta-feira e ampliou suas perdas nas negociações do final da tarde, uma vez que uma série de dados econômicos não conseguiu alterar o curso esperado de aperto monetário agressivo por parte do Federal Reserve, em meio a crescentes alertas de recessão global.

A liquidação ganhou impulso no final da sessão, com líderes de mercado, que incluem Microsoft Corp, Apple Inc e Amazon.com Inc, afetando mais fortemente o índice de tecnologia Nasdaq.

O índice S&P 500 fechou em queda de 1,13%, a 3.901,35 pontos. O Dow Jones caiu 0,56%, a 30.961,82 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite recuou 1,43%, a 11.552,36 pontos.

O índice S&P 500 fechou pouco acima de 3.900 pontos, visto por muitos analistas como um nível-chave de suporte técnico que foi testado várias vezes nas últimas duas semanas.

Papéis de bancos, que são mais sensíveis à taxa de juros, ajudaram a amortecer o declínio do Dow Jones.

Nove dos 11 principais setores do S&P 500 encerraram a sessão em território negativo. As ações de energia tiveram a maior queda percentual, já que um acordo ferroviário provisório nos EUA e preocupações com a demanda fizeram os preços do petróleo caírem.

O setor de saúde registrou o maior avanço no dia, com ajuda da seguradora Humana Inc, cujo salto de 8,4% após forte previsão de balanço a deixou no topo do S&P 500.