Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,26
    +0,12 (+0,16%)
     
  • OURO

    1.888,60
    +3,80 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    23.321,31
    +468,19 (+2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    538,46
    +12,50 (+2,38%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.520,57
    -164,90 (-0,60%)
     
  • NASDAQ

    12.757,00
    -19,75 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5771
    0,0000 (0,00%)
     

Wall Street recua com mercado monitorando impacto de reabertura da China

Fachada da Bolsa de Nova York

Por Amruta Khandekar e Ankika Biswas

(Reuters) - Os principais índices de Wall Street passaram a cair nesta quarta-feira, depois de um início de sessão de alta moderada impulsionada por uma recuperação nas ações de crescimento, com investidores de olho nos movimentos da China para reabrir sua economia.

Às 12h54 (horário de Brasília), o Dow Jones Industrial Average caía 0,23%, a 33.165,52 pontos; o S&P 500 recuava 0,22%, a 3.821,00 pontos, e o Nasdaq Composite tinha queda de 0,32%, a 10.320,55 pontos.

Entre os principais setores do S&P 500, tecnologia e consumo discricionário subiam mais cedo quase 0,5% e 1%, respectivamente, enquanto as ações de saúde também davam um grande impulso ao índice de referência.

Pequim começou a desmantelar suas rígidas restrições ao Covid este mês em uma reviravolta abrupta na política sanitária. Os mercados inicialmente aplaudiram o movimento na esperança de que ele estimule uma recuperação na economia chinesa, mas um salto nas infecções por Covid gerou novas preocupações.

“O que as pessoas estão subestimando é o fato de que a segunda maior economia do mundo está reabrindo e toda essa atividade econômica vai beneficiar os EUA”, disse Thomas Hayes, presidente da Great Hill Capital LLC em Nova York.

"A velocidade com que eles inverteram sua postura pegou as pessoas desprevenidas. As pessoas estão céticas porque os últimos dois anos foram um desastre na China."

À medida que os mercados entram na última etapa de um ano exaustivo para as ações, com medo de uma recessão devido ao ritmo mais rápido de aumentos de juros do Federal Reserve desde o início dos anos 1980, o foco mudou para 2023 e as perspectivas para os lucros corporativos.