Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.943,90
    -2,80 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    23.522,14
    +497,66 (+2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Nasdaq lidera queda de Wall Street após dados robustos do emprego em novembro

.

Por Bansari Mayur Kamdar e Ankika Biswas e Medha Singh

(Reuters) - Os índices de ações dos EUA caíam acentuadamente nesta sexta-feira, com o Nasdaq liderando as perdas, com a criação de empregos acima do esperado em novembro reacendendo preocupações dos investidores de que o Federal Reserve manterá sua política monetária agressiva.

O relatório de empregos do Departamento do Trabalho mostrou que as folhas de pagamento não agrícolas aumentaram em 263 mil em novembro, acima da estimativa de 200 mil, com os empregadores dos EUA contratando mais trabalhadores do que o esperado e aumentando os salários, apesar das crescentes preocupações de uma recessão.

A taxa de desemprego nos EUA permaneceu inalterada, como esperado.

"A forte criação de empregos e um grande aumento nos salários reforçam o argumento do Fed de que muito mais trabalho precisa ser feito para controlar a inflação", disse James Knightley, economista-chefe internacional do ING.

"Engrossando os problemas do Fed, as condições monetárias se afrouxaram nas últimas semanas com a queda do dólar e dos rendimentos dos títulos do Tesouro de prazo mais longo e os spreads de crédito estreitados. Isso está desfazendo os efeitos de aperto dos recentes aumentos de juros do Fed."

Knightley previu novos aumentos de 50 pontos-base nas taxas em dezembro e fevereiro, com o potencial de aperto precisando continuar por mais tempo, acrescentou.

O S&P 500 e o Nasdaq estão a caminho de terminar a semana em alta, após uma forte recuperação na quarta-feira provocada pelos comentários do presidente do Fed, Jerome Powell, sobre a redução dos aumentos das taxas de juros já em dezembro.

Às 11h47 (horário de Brasília), o Dow Jones caía 0,91%, para 34.081,15 pontos; o S&P 500 .SPX caía 1,14%, para 4.030,08 pontos, e o Nasdaq Composite recuava 1,41%, para 11.320,44 pontos.

Todos os 11 principais setores do S&P 500 caíram no início do pregão.