Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.675,49
    +66,57 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.392,23
    +33,67 (+2,48%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Waldery será substituído por Bruno Funchal na secretaria de Fazenda, dizem fontes

Rodrigo Viga Gaier
·1 minuto de leitura
Waldery será substituído por Bruno Funchal na secretaria de Fazenda

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Waldery Rodrigues, atual secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, deixará o governo e será substituído no cargo por Bruno Funchal, hoje secretário do Tesouro, informaram duas fontes do governo à Reuters.

Segundo uma das fontes, Jeferson Bittencourt, assessor especial no Ministério da Economia, onde é servidor de carreira, é um dos cotados para assumir o comando do Tesouro.

Waldery entrou na mira do presidente Jair Bolsonaro no ano passado, quando falou em entrevista sobre intenção da equipe econômica de propor congelamento de aposentadorias e pensões. Na ocasião, o presidente disse que daria "cartão vermelho" a quem propusesse corte de benefícios sociais.

Os desgastes aumentaram nas últimas semanas em meio às discussões em torno do Orçamento de 2021, segundo uma das fontes.

A equipe econômica foi bastante enfática nas críticas à lei orçamentária aprovada pelo Congresso, que subestimou as despesas obrigatórias do governo, tornando o Orçamento inexequível, segundo o governo.

Para contornar o impasse, foram negociados vetos a emendas parlamentares e a despesas discricionárias do governo, em processo tocado principalmente pela secretaria especial de Fazenda, a que é vinculada a secretaria de Orçamento.

Procurado, o Ministério da Economia não comentou a saída de Waldery.

O economista Funchal, que assumirá agora o cargo de número 2 na Economia, foi nomeado secretário do Tesouro em meados do ano passado, com a saída do governo de Mansueto Almeida, que foi para a iniciativa privada. Ex-secretário de Fazenda do Espírito Santo no governo de Paulo Hartung, Funchal veio para a Economia já no governo Bolsonaro, assumindo inicialmente a função de diretor de programas.