Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,25 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.923,60
    -5,90 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    12.896,20
    +1.839,19 (+16,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,17
    +13,28 (+5,42%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.484,79
    -154,67 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    11.622,00
    -69,25 (-0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Vulcabras licencia marca Azaleia para Grendene

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Vulcabras Azaleia informou nesta quinta-feira o licenciamento da marca Azaleia à Grendene para produção e venda de calçados femininos.

O licenciamento, válido por 3 anos e renováveis por igual período, vale para Brasil e exterior, exceto Peru, Chile e Colômbia, de acordo com o fato relevante.

Com o acordo, a Grendene passará a usar a marca Azaleia, sendo responsável inclusive pelos designs dos calçados.

"Não há e não haverá qualquer solidariedade entre a companhia e a Grendene com relação às respectivas atividades e obrigações junto a quaisquer terceiros", afirmou a Vulcabras, adicionando que a remuneração pelo uso da marca será paga pela Grendene com base num percentual da receita mensal dos produtos.

"A consumação da operação está em linha com o planejamento estratégico da companhia em concentrar seus esforços no desenvolvimento, fabricação e comercialização de produtos e artigos esportivos", afirmou a Vulcabras, que no entanto seguirá vendendo calçados femininos apenas no Peru e na Colômbia.

O anúncio acontece dias após a Vulcabras ter fechado acordo para comprar a operação da marca Mizuno no Brasil, pagando 32,5 milhões de reais à Alpargatas.

(Por Aluísio Alves)