Mercado fechado

Voos sem piloto podem ser possíveis em um futuro próximo

A aviação comercial está prestes a iniciar uma nova era. A era em que não será necessária a interferência humana em nenhuma fase da operação da aeronave: táxi, decolagem, cruzeiro, pouso, frenagem e decolagem. Tudo será feito de forma autônoma, e a exigência de um piloto a bordo será apenas para que possa agir no caso de procedimentos anormais.

A informação foi confirmada em comunicado oficial da Reliable Robotics. A empresa, líder em sistemas de aeronaves autônomas, relatou que a base de certificação de seu sistema avançado de navegação e voo automático foi aceita pela Federal Aviation Administration (FAA).

Segundo a Reliable Robotics, o novo sistema de navegação aumentará a segurança, permitindo o engajamento contínuo do piloto automático em todas as fases da operação da aeronave, antes mesmo do voo ter início.

Voo comercial sem interferência humana está próximo de virar realidade (Imagem: Divulgação/Reliabe Robotics)
Voo comercial sem interferência humana está próximo de virar realidade (Imagem: Divulgação/Reliabe Robotics)

“Estamos muito agradecidos pela notável atenção da FAA aos detalhes e suporte contínuo”, disse Mark Mondt, Diretor de Certificação da Reliable Robotics. “Esta base de certificação é o culminar de anos de trabalho com a FAA e representa um passo fundamental para trazer sistemas avançados de navegação e voo automático para aeronaves de categoria normal. Estamos ansiosos para continuar nosso trabalho juntos à medida que avançamos para a próxima fase do processo de certificação.”

Redução de acidentes

De acordo com relatórios da FAA, as principais causas de acidentes fatais em aeronaves de pequeno porte estão relacionadas justamente em voo controlado para o terreno e à perda de controle. A ideia, com a automação, é reduzir drasticamente este tipo de acidente.

“Sistemas avançados de automação reduzirão a ocorrência desses acidentes e trarão um nível de segurança sem precedentes à aviação comercial por meio de navegação de precisão, planejamento de voo sofisticado e controles de voo robustos”, apostou a empresa, que desde 2017 atua no ramo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: