Mercado fechará em 3 h 34 min
  • BOVESPA

    121.158,42
    +452,52 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.205,62
    +376,31 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,13
    +1,31 (+2,05%)
     
  • OURO

    1.838,30
    +14,30 (+0,78%)
     
  • BTC-USD

    51.103,55
    +873,85 (+1,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.430,67
    +72,10 (+5,31%)
     
  • S&P500

    4.166,80
    +54,30 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    34.319,48
    +298,03 (+0,88%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.357,75
    +257,50 (+1,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3711
    -0,0414 (-0,65%)
     

Voos entre Brasil e França suspensos até 19 de abril

·2 minuto de leitura
O primeiro-ministro francês, Jean Castex, fala na Assembleia Nacional da França, em Paris, em 13 de abril de 2021

Os voos entre França e Brasil permanecerão suspensos até 19 de abril, segundo um decreto publicado nesta quarta-feira (14) no Diário Oficial francês, enquanto o governo de Paris estuda soluções para repatriar seus cidadãos bloqueados.

"Devido à situação de saúde no Brasil (...) as viagens de pessoas procedentes deste país para o território da República, exceto aquelas necessárias ao transporte de mercadorias, estão proibidos até 19 de abril 2021 às 0H00", afirma o decreto.

A respeito dos cidadãos franceses bloqueados no Brasil, o governo informou que está examinando soluções para para repatriá-los, em "voos particulares ou indiretos".

"Nossos cidadãos têm o direito constitucional de retornar ao nosso território", afirmou o secretário de Estado para Assuntos Europeus, Clément Beaune.

A suspensão dos voos entre os dois países foi anunciada na terça-feira pelo primeiro-ministro, Jean Castex, devido à situação sanitária no Brasil, que é cada vez mais grave desde fevereiro, devido à detecção de uma nova variante do coronavírus, conhecida como P1, considerada mais contagiosa e perigosa.

Embora na França esta variante continue sendo minoritária (menos de 5% dos contágios), os profissionais da saúde alertam há alguns dias para a propagação da cepa e a oposição exigia que o governo suspendesse os voos com o Brasil.

Até agora, os viajantes procedentes do Brasil - como de outros países - deveriam apresentar um teste PCR negativo para entrar na França e deveriam comprometer-se a respeitar um isolamento de sete dias.

Questionado pela AFP, o ministério das Relações Exteriores do Brasil afirmou que este tipo de restrição adotada por alguns países por causa das novas variantes do coronavírus "tem atingido não apenas o Brasil, mas também países como Reino Unido, África do Sul e Japão".

"Trata-se do mesmo critério que justifica a proibição, atualmente vigente, de ingresso no Brasil de voos oriundos do Reino Unido e da África do Sul", acrescentou.

meb/zm/fp