Mercado abrirá em 4 h 22 min
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,65
    -1,43 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.815,10
    -7,70 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    50.533,79
    -6.335,27 (-11,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.378,08
    -185,76 (-11,88%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    6.851,79
    -152,84 (-2,18%)
     
  • HANG SENG

    27.718,67
    -512,37 (-1,81%)
     
  • NIKKEI

    27.448,01
    -699,50 (-2,49%)
     
  • NASDAQ

    12.955,50
    -43,00 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4178
    +0,0123 (+0,19%)
     

Voo de teste da Starliner à ISS é adiado de novo e fica para segundo semestre

Daniele Cavalcante
·2 minuto de leitura

Enquanto a SpaceX se prepara para seu segundo lançamento tripulado operacional com a NASA, a Boeing adiou mais uma vez o segundo voo de teste de sua nave, a Starliner, que também faz parte do programa comercial da agência norte-americana, tal qual a nave Crew Dragon de Elon Musk. A missão Orbital Flight Test-2 (OFT-2) estava prevista para maio, mas uma série de dificuldades empurrou o cronograma para o segundo semestre deste ano.

A Starliner é uma cápsula de tripulação desenvolvida para o Commercial Crew Program, da NASA, e precisa atender requisitos exigidos pela agência espacial. Em seu primeiro teste de voo no final de 2019, a Boeing conseguiu levar a nave ao espaço, mas falhou na tentativa de acoplar na Estação Espacial Internacional (ISS), o destino de todos os lançamentos de astronautas que ocorrem atualmente.

Após a falha, uma equipe da NASA identificou 80 problemas para a Boeing revisar em sua nave, principalmente no que diz respeito ao software. Isso levou a um atraso no primeiro Crew Flight Test (CFT), a primeira missão tripulada da Starliner, que agora está programado para ser lançado em setembro — no quadro mais otimista. Nessa missão, estarão os astronautas da NASA Butch Wilmore, Nicole Mann e Mike Fincke.

Simulação da Starliner realizando o acoplamento na ISS (Imagem: Reprodução/Boeing)
Simulação da Starliner realizando o acoplamento na ISS (Imagem: Reprodução/Boeing)

Para que esse voo tripulado aconteça, a Boeing terá que repetir o teste de 2019, dessa vez com sucesso no acoplamento à estação orbital. O segundo teste não tripulado estava programado para ser realizado em março, mas falhas de energia causaram danos em componentes da nave, que precisaram ser substituídos. Assim, a missão acabou adiada para o dia 2 de abril, mas foi novamente adiada, dessa vez para maio por causa das temperaturas excepcionalmente baixas na região de lançamento, que causa constantes quedas de energia.

Além disso, o lançamento da missão Crew-2 na próxima quinta-feira (22) e o lançamento da Soyuz MS-18 no início do mês compromete a tarefa de acoplar na ISS, já que os espaçoportos da ISS são limitados. Maio também será um mês complicado, já que o lançamento dependeria da programação de outras missões de manutenção da estação orbital e da disponibilidade do foguete Atlas V da United Launch Alliance, de acordo com a Boeing. Por fim, a empresa também citou problemas técnicos com a aviônica, ou seja, os componentes eletrônicos de voo da nave.

Isso não significa que a equipe diminuiu o ritmo de trabalho. Os engenheiros da empresa estão agora conduzindo simulações de software, incluindo testes completos de integração, que servirão para ensaios de cada missão no futuro. A Boeing disse que espera concluir todos os testes de software ainda em abril. A equipe Starliner também está preparando a equipe de astronautas para o voo tripulado, incluindo exercícios com os tripulantes para verificar todos os sistemas de suporte de vida e de comunicação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: