Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,36
    +0,06 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.774,50
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    35.059,21
    +1.475,88 (+4,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    845,86
    +59,24 (+7,53%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.109,97
    +35,91 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    29.096,89
    +221,66 (+0,77%)
     
  • NASDAQ

    14.348,50
    -5,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8620
    -0,0003 (-0,01%)
     

Voo da Qantas para ver superlua esgota em minutos

·3 minuto de leitura
Voo da Qantas para ver superlua esgota em minutos
Voo da Qantas para ver superlua esgota em minutos

Observar fenômenos astronômicos do solo não é o suficiente para alguns australianos. A companhia aérea Qantas ofereceu um voo para “lugar nenhum”, apenas para que os passageiros da Austrália admirem a superlua do dia 26 de maio, e as passagens esgotaram em apenas dois minutos e meio.

Além da superlua, que será a maior do ano, os passageiros também vão ter a possibilidade de observar um eclipse lunar completo (que será visível apenas parcialmente do Brasil) a 40 mil pés de altitude. Além da Austrália, outros territórios do Pacífico, Nova Zelândia e a costa oeste dos Estados Unidos poderão ver o eclipse.

Leia mais:

Para presenciar os fenômenos direto do céu, as pessoas desembolsaram AU$ 499 (dólares australianos) para a classe econômica, o equivalente a R$ 2.038, na cotação desta segunda-feira (17). Teve quem pagou mais, comprando passagens a AU$ 1.499 (R$ 6.122) para a primeira classe. A Qantar chegou a criar uma lista de espera, mas fechou logo em seguida.

A companhia aérea promete vistas espetaculares e, para isso, está trabalhando com a astrônoma Vanessa Moss para projetar “a rota de vôo ideal sobre o Oceano Pacífico”. Ela estará a bordo do avião, onde vai passar fatos e percepções sobre o evento lunar.

qantas boeing superlua
A Qantas vai usar um Boeing 787 Dreamliner para o voo. Imagem: Qantas/Divulgação

O voo será feito em uma aeronave Boeing 787 Dreamliner, escolhida especialmente por causa das janelas maiores. O trajeto vai durar três horas, saindo de Sydney, sobrevoando o porto da cidade e, em seguida, subindo acima das nuvens para contemplar os fenômenos. Depois da viagem para lugar nenhum, os passageiros voltam para o aeroporto do qual embarcaram.

Mesmo com a pandemia de coronavírus controlada na Austrália, as pessoas precisarão usar máscaras no avião e praticar o distanciamento social. Desde o início do surto da doença, o país registrou 637.573 casos da Covid-19, com 10.480 óbitos, de acordo com dados da Johns Hopkins University & Medicine.

Calendário astronômico de maio

17 de maio: Lançamento do quinto satélite Space Based Infrared System Geosynchronous satellite (SBIRS GEO 5) para a Força Espacial do EUA. O foguete Atlas V da United Launch Alliance decolará a partir da plataforma 41 da Estação da Força Espacial em Cabo Canaveral, na Flórida.

26 de maio: teremos a maior “superlua” do ano, conhecida nos EUA como “Lua das Flores” (Flower Moon) surgindo no horizonte a leste a partir das 18h20.

No mesmo dia teremos um eclipse total da Lua, que infelizmente na maior parte do Brasil será visto apenas parcialmente. Durante o eclipse a Lua pode assumir uma coloração avermelhada, dando-lhe o apelido de “Lua de Sangue”.

Quem mora na região norte poderá ver um “eclipse penumbral”: a Lua estará na penumbra, parte da sombra da Terra que bloqueia apenas parte da luz do Sol, em vez de sua totalidade. Na prática, isso resulta numa redução do brilho da Lua, em vez de sua ocultação, algo que dificilmente é notado.

27 de maio: lançamento da missão OneWeb 7 com 36 satélites da constelação de internet OneWeb, concorrente da Starlink. Um foguete russo Soyuz decolará do cosmódromo Vostochny, na Sibéria.

30 de maio: mais uma conjunção entre a Lua e Saturno. O par estará visível a partir das 22:25, quando surgir no horizonte ao leste. Saturno estará alinhado com a Lua, à sua esquerda.

Via: CNN

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos