Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.357,48
    -375,49 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Volta de viagens de negócios reaquece voos na cidade de Londres

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O aeroporto da cidade de Londres, favorito dos viajantes de negócios regionais, vê uma tentativa de retomada depois que a British Airways e a Deutsche Lufthansa restabeleceram voos para centros financeiros importantes.

Os serviços para Zurique, Frankfurt e Roterdã estão sendo retomados este mês, disse o diretora de operações do aeroporto, Alison FitzGerald, em entrevista.

“Estamos vendo alguns sinais iniciais de boas taxas de ocupação, algumas reservas antecipadas”, disse FitzGerald. “As frequências também devem aumentar.”

O número de voos da cidade de Londres deve subir mais de 70% durante setembro para cerca de 260 por semana no final do mês, com base em dados da Bloomberg NEF. Ainda assim, o tráfego permanece cerca de 80% abaixo dos níveis de 2019, de acordo com FitzGerald.

O aeroporto, que oferece fácil acesso aos distritos financeiros da cidade de Londres e Canary Wharf, é quase totalmente focado em voos curtos porque sua pista truncada é limitada a aeronaves menores. O aeroporto operou viagens de lazer que foram retomadas no início da temporada de verão, quando os bloqueios provocados pela pandemia da Covid-19 diminuíram, disse FitzGerald.

Embora a demanda por viagens de negócios após a pandemia permaneça incerta, FitzGerald disse que os executivos estão procurando encontros cara a cara com os clientes, e mais clientes combinarão viagens de negócios e lazer possibilitadas por padrões de trabalho flexíveis.

A Lufthansa retomará os serviços para Frankfurt a partir de 16 de setembro, depois que o braço suíço do grupo reiniciou as operações de Zurique na semana passada, usando a versão mais recente da série de jatos regionais da Embraer que domina a cidade de Londres. O modelo E2 de 110 assentos foi recentemente liberado pelos reguladores europeus para a aproximação íngreme do aeroporto.

A British Airways vai adicionar Roterdã, lar do porto marítimo mais movimentado da Europa e de escritórios da Unilever e Royal Dutch Shell, a partir de 20 de setembro, após a desativação da rota no início da pandemia. Amsterdã já está sendo servida pela KLM, a maior operadora da cidade de Londres depois da BA.

Uma pesquisa da Bloomberg com 45 grandes empresas nos EUA, Europa e Ásia mostrou que 84% planejam gastar menos em viagens pós-pandemia. A demanda também está sendo contida pelas constantes mudanças nas regras de viagens do Reino Unido, fazendo com que as companhias aéreas adotem uma abordagem conservadora para reabrir, disse FitzGerald.

“É um aumento cauteloso, considerando onde as companhias aéreas estão financeiramente”, disse ela. “Elas precisam ter certeza de que a demanda existe.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos