Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.835,03
    +5,25 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Volkswagen tem plano para ampliar vida da bateria de seus carros elétricos

·2 minuto de leitura

A Volkswagen quer ampliar o acesso do grande público ao mercado de carros elétricos e, de quebra, aproveitar ao máximo um dos componentes mais caros e, claro, mais importantes da nova geração automotiva: a bateria. A marca anunciou que iniciará, a princípio na Europa e nos Estados Unidos, o aluguel da frota elétrica de usados.

O contrato, na verdade, seria no formato de leasing, expansível por um ou mais períodos, totalizando oito anos até a devolução dos carros para a fábrica. “Na Europa, estamos tentando conseguir um segundo e até um terceiro aluguel, mas em forma de leasing, para manter o carro em nossas mãos", explicou Herbert Diess, CEO da montadora alemã.

Segundo ele, a vida da bateria hoje é de cerca de 1.000 ciclos de carga, ou 350 mil quilômetros. "Portanto, a bateria provavelmente duraria mais do que o carro, e queremos mantê-la para não precisarmos produzir novas”, justificou o executivo.

Herbert Diess conversou com o pessoal do Automotive News durante as apresentações da montadora no IAA, Salão de Mobilidade que foi realizado em Munique. Ele adiantou alguns outros detalhes envolvendo a ideia de reutilizar as baterias recuperadas após o término do contrato de leasing: “Já há uma indicação de que os resíduos para carros elétricos podem ser maiores do que para os de combustão interna, pois, mesmo que o carro seja totalmente inútil, ainda há uma bateria, que pode ter 70 ou 80% de sua energia original e capacidade de armazenamento. Nossa tarefa é tentar manter essas baterias”.

Quando retomar as baterias, a Volswagen deverá utilizá-las em outros projetos. A ideia, caso não haja a reciclagem completa do conjunto, é deslocá-las para uso em sistemas de energia domésticos, por exemplo. “Isso tudo precisa ser acertado com os revendedores, mas gostaríamos de ficar com as baterias para sempre”, concluiu o executivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos