Mercado fechado

Volkswagen Tarok, picape brasileira, é atração no Salão de Frankfurt

feedback@motor1.com (Dyogo Fagundes)
Volkswagen Tarok - Salão de Frankfurt

Conceito testará reação do público europeu quanto à proposta de uma picape intermediária

Depois de estrear para o público latino-americano em outubro de 2018 no Salão do Automóvel de São Paulo, a picape Volkswagen Tarok (conceito totalmente desenvolvido por designers brasileiros) começa a alçar voos internacionais. Prova disso é que poucos meses depois de ser apresentada aos norte-americanos no Salão de Nova York, em abril, a camionete aparece agora na Europa, sendo importante atração da marca no Salão de Frankfurt, na Alemanha.

O modelo aparece ainda como protótipo e pintado em um chamativo tom de azul, exatamente como no Brasil e nos Estados Unidos. A ideia é testar a reação do público europeu quanto à proposta de uma picape intermediária e com construção monobloco.

Desenvolvida com base na plataforma modular MQB, a Tarok mede 4.914 mm de comprimento, 1.830 mm de largura (sem os espelhos externos) e 1.677 de altura (sem os trilhos do teto). A distância entre-eixos é de 2.990 mm e os balanços são bastante curtos: 914 mm na frente e 1.010 mm na traseira. Na prática, é posicionada entre a média Amarok (5.191 mm de comprimento) e a compacta Saveiro (4.497 mm). Ao contrário da primeira, a Tarok tem perfil mais voltado para o lazer, evidenciado não apenas pela construção semelhante a de um automóvel como também por soluções inovadoras, como o conceito de carga variável que permite rebater o painel traseiro junto com os bancos para formar uma área totalmente integrada com a caçamba.

Leia também:

Sob o capô, o conhecido motor 1.4 TSI de quatro cilindros entrega 150 cv de potência e 25,4 kgfm de torque máximo a 1.500 rpm (até 3.500 rpm). O câmbio é automático de 6 marchas e tração integral permanente 4Motion. A capacidade de carga total é de 1.000 kg. Embora a VW ainda não confirme oficialmente, o lançamento da versão de produção da Tarok está programado para 2021, sendo o Brasil um dos primeiros mercados do mundo a receber a novidade. O objetivo é rivalizar diretamente com a Fiat Toro e as futuras picapes intermediária de Ford, Hyundai e Chevrolet.

Fonte: Volkswagen