Mercado fechará em 20 mins

Volkswagen ID.7 | O que esperar do sedã elétrico sucessor do Passat?

O Volkswagen ID.7 foi uma das novidades mais interessantes do setor automotivo durante a CES 2023. O sedã elétrico, que chega ao mercado ainda em 2023, é o mais novo membro da família de carros zero emissão da montadora alemã, já bem estruturada com modelos como o ID.3 e o ID.4, praticamente confirmados para o Brasil.

Durante sua participação no evento, com apresentações e explicações dos executivos, ficou muito claro que o VW ID.7 vai se diferenciar dos demais carros elétricos da família ID — que ainda tem a ID.Buzz, o ID.5 e o ID.6 (somente na China) — com uma tentativa de se aproximar ainda mais de um público mais seleto e que busca opções premium.

E, para isso, tratou de rechear o sedã com muita tecnologia e apelos de luxo que não são usuais aos carros da marca. Ainda saberemos todos os atributos do ID.7. como seu motor, pacote de segurança e versões, mas o porte e intenção de mercado escancaram que o sucessor espiritual do VW Passat tem enorme potencial.

O VW ID.7 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
O VW ID.7 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

Vai mesmo substituir o Passat?

O mercado automotivo está com cada vez menos sedãs e lotado de SUVs. Durante o anúncio do ID.7, realizado em apresentação prévia em Los Angeles, a Volkswagen revelou que, inicialmente, apenas três mercados devem receber o sedã elétrico: Europa, China e Estados Unidos.

Depois, em um bate-papo com o CEO global da marca para carros de passeio, Thomas Schäfer, descobrimos que, inicialmente, o país europeu que receberia o carro é, por enquanto, apenas a Turquia, devido à forte demanda por carros três volumes.

Porte do ID.7 agrada e indica semelhança com o Passat (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Porte do ID.7 agrada e indica semelhança com o Passat (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Se a tendência for seguida e todos os modelos da Volkswagen realmente se tornarem elétricos, é bem possível que o ID.7 faça as vezes do histórico sedã alemão, um dos mais adorados por entusiastas em todos os tempos. Porte, para isso, ele tem, já que são quase 5m de comprimento e distância entre-eixos de 2,97m.

Mas, além de ter tamanho, o ID.7 vai precisar conquistar os clientes com equipamentos e bom desempenho. Atualmente, quase todos os modelos da linha ID compartilham os mesmos powertrains, se diferenciando apenas por suas respectivas autonomias e opções de tração. O motor mais usado entrega 204cv de potência e 31,6 kgf/m de torque. Entendemos que, para um sedã desse porte e proposta, será necessário mais — e a Volks sabe.

E como a Volkswagen sabe? Porque tratou de revelar o alcance do sedã: 700km no ciclo WLTP, o maior entre todos os carros elétricos do grupo, somando Porsche, Audi e afins. Por isso, esperamos aqui, pelo menos, o motor usado na versão de performance do VW ID.5 e da ID.Buzz, com a nomenclatura GTX, que entrega 300cv de potência e 46,9 kgf/m de torque.

Já em termos de equipamento, a Volkswagen deve recheá-lo com o que há de melhor no seu portfólio de segurança ativa e passiva, além do infotenimento.

Esperemos por inovação

Entre confirmações e segredos, podemos adiantar que o Volkswagen ID.7 pode ser o carro mais tecnológico da marca em todo o mundo. Durante a CES 2023, vimos um protótipo, apenas, mas conceitos, muitas vezes, podem adiantar o que as empresas pretendem acrescentar no projeto final e, ao menos com o sedã, tudo parece bem plausível.

Começando pelo que não é segredo, o interior do VW ID.7 foi pensado para trazer soluções muito peculiares, como o novo sistema de ar-condicionado inteligente, que se adapta ao sol e ao seu posicionamento nos bancos para enviar o vento mais geladinho e refrescar o ambiente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Esse sistema é ativado assim que o motorista entra no veículo e pode ser controlado de modo a espalhar a intensidade do ar por meio da enorme tela da central multimídia. Há saídas em todo o painel e o fluxo de ar é direcionado diretamente na pessoa ou simplesmente para o ambiente como um todo.

Além disso, comandos de voz podem ser emitidos para que as demais funções do carro sejam executadas, como mudar uma música ou até mesmo escolher os modos de condução, algo que, assim como acontece no VW ID.4, por exemplo, deve estar presente no sedan para ajudar na eficiência energética.

Central multimídia do ID.7 será bem maior do que a do ID.4 (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Central multimídia do ID.7 será bem maior do que a do ID.4 (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Outra novidade revelada pela Volkswagen foi o novo head up display com realidade aumentada, que vai exibir informações do veículo e colocar no pára-brisas funções em ação durante a viagem, como o trajeto do GPS e alertas de direção.

Pintura com eletroluminescência

Algo que chamou a atenção durante a CES 2023 foi justamente o protótipo do ID.7 que estava exposto no evento. Essa unidade estava equipada com uma pintura especial que possuía luz própria, controlada por diferentes partes do veículo e exibindo as muitas cores disponíveis no sedã naquele momento.

Será que o ID.7 vai mesmo brilhar no escuro? (Imagem: Divulgação/ Volkswagen)
Será que o ID.7 vai mesmo brilhar no escuro? (Imagem: Divulgação/ Volkswagen)

Segundo a Volkswagen, foram realizadas 40 camadas de pintura, sendo que elas se intercalam entre partes com a iluminação elétrica e isolamento, por questões de segurança. A montadora explica que essa tecnologia pode ser inserida nos carros futuramente, mas sem explicar como seria, na prática.

O Volkswagen ID.7 virá ao Brasil?

Segundo Thomas Schäfer, Alexander Seitz, atual CEO da Volkswagen do Brasil, já está pedindo o ID.7 para o nosso mercado. Mas, claro, há muitos obstáculos para que isso seja concretizado. A empresa já confirmou que sua ofensiva elétrica no Brasil terá início em 2023, muito possivelmente com o VW ID.4. Mas a vinda do sedã não está descartada. Explicamos.

O mercado de carros elétricos no Brasil ainda é pequeno, mas tem potencial, sobretudo para modelos de maior valor agregado. A depender do sucesso do ID.4, que tem predicados para se dar bem por aqui, é bem possível que algumas unidades do ID.7 possam vir, principalmente se a divisão de versões for bem pensada.

Com a produção confirmada para a China e a fábrica de Chattanooga, nos EUA, tudo fica ainda mais plausível.

Nosso palpite: vai vir.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: