Mercado fechará em 5 h 21 min

Volkswagen diz que problemas na cadeia de suprimentos chegaram para ficar

Por Victoria Waldersee

BERLIM (Reuters) - A Volkswagen avalia que os problemas na cadeia de suprimentos são a nova norma da indústria, mas ainda espera crescimento no mercado de automóveis no próximo ano, já que alguns gargalos de produção devem diminuir.

A montadora reduziu expectativas de vendas este ano para ficarem no mesmo nível de 2021. A previsão anterior era de crescimento de 5% a 10%. Mas a empresa manteve perspectiva da margem de lucro atingir o limite superior da banda de 7% a 8,5% por meio de cortes de custos fixos.

O lucro do terceiro trimestre da companhia estagnou, ficando abaixo do nível anterior à pandemia em 4,3 bilhões de euros. O desempenho foi pressionado por custos relacionados ao IPO da Porsche, suspensão de negócios na Rússia, baixa contábil de uma startup de tecnologia de direção autônoma, bem como problemas com o fornecimento de peças.

A falta de componentes eletrônicos e outras peças críticas significa que a montadora tem 150 mil veículos inacabados em pátios e que está sendo obrigada a estocar suprimentos para se proteger contra mais escassez durante o final do ano, disse o diretor financeiro, Arno Antlitz, a analistas e investidores.

"Desafios para nossa cadeia de suprimentos se tornarão a regra, não a exceção", disse o presidente-executivo da Volkswagen, Oliver Blume. Ele citou ainda barreiras para transferência de tecnologia entre Ocidente e Oriente.

A margem de 6% em todo o grupo foi impulsionada pelas marcas esportivas e de luxo, que são mais capazes de repassar os custos crescentes para os preços do que as marcas de volume cujos compradores são pressionados pela inflação.

A companhia assumiu um encargo não caixa de 1,9 bilhão de euros relacionado à baixa contábil do investimento na Argo AI, uma startup de tecnologia de direção autônoma criada em conjunto com a Ford, mas que vai encerrar operações.

Volkswagen e Ford anunciaram na quarta-feira fim de investimentos no negócio, o que fez a Ford sofrer prejuízo líquido por conta de encargo antes de impostos de 2,7 bilhões de dólares.

A Volkswagen continua comprometida com a direção autônoma de nível 4, e decidirá no próximo mês se avançará na área com um novo parceiro, disse Blume.