Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,79
    -0,36 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.739,20
    +2,90 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    62.968,07
    -476,09 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.368,48
    -7,29 (-0,53%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,63 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.700,99
    +80,00 (+0,27%)
     
  • NASDAQ

    13.821,50
    +22,75 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7768
    +0,0039 (+0,06%)
     

Volkswagen desafia Tesla com fábricas de células de bateria na Europa

Christoph Steitz e Jan Schwartz
·2 minuto de leitura

Por Christoph Steitz e Jan Schwartz

FRANKFURT (Reuters) - A Volkswagen planeja construir meia dúzia de fábricas de células de bateria na Europa e expandir a infraestrutura para carregar veículos elétricos globalmente, acelerando esforços para superar a Tesla e acelerar a adoção em massa de carros movidos a bateria.

A segunda maior montadora do mundo disse nesta segunda-feira que deseja ter seis fábricas de células de bateria operando na Europa até 2030 e que construirá as instalações sozinha ou com parceiros.

"Nossa transformação será rápida, sem precedentes", disse o presidente-executivo, Herbert Diess, ao Power Day da Volkswagen, que também contou com os presidentes das petrolíferas BP, Enel e Iberdrola.

A Volkswagen não disse quanto custará o plano. Em dezembro, anunciou 35 bilhões de euros para mobilidade elétrica até 2025. O grupo foi um retardatário na eletrificação, mas agora tem um dos programas mais ambiciosos do setor.

A Volkswagen disse que as fábricas europeias terão uma capacidade de produção conjunta de até 240 gigawatts-hora (GWh) por ano, acrescentando que os primeiros 40 GWh virão da sueca Northvolt, com produção começando em 2023.

Como parte do negócio, a Volkswagen elevará sua participação de 20% na Northvolt e também assumirá a fatia da empresa sueca num empreendimento de célula de bateria na cidade alemã de Salzgitter, que formará a segunda fábrica a partir de 2025.

Isso será seguido por uma fábrica na Espanha, França ou Portugal em 2026 e uma na Polônia, Eslováquia ou República Tcheca até 2027. Mais duas fábricas serão instaladas até 2030.

A Volkswagen também trabalha numa grande expansão da infraestrutura de carregamento dos veículos. A falta dela ainda é vista como uma grande barreira para adoção em massa de carros elétricos.

A Volkswagen quer ter cerca de 18 mil pontos de carregamento rápido na Europa até 2025, o que significa quintuplicar a rede de carregamento rápido atual, disse a Volkswagen, acrescentando que investirá 400 milhões de euros na iniciativa.

Na América do Norte, a Volkswagen quer ter 3,5 mil pontos de carregamento rápido até o fim de 2021, enquanto na China o grupo pretende ter 17 mil até 2025.

Na China, onde a Volkswagen comprou no ano passado 26,5% da fabricante de baterias Guoxuan, a montadora pretende vender mais de 2 milhões de veículos elétricos por ano até 2030.