Mercado fechará em 13 mins

Volkswagen deixará de fabricar em 2019 seu famoso Fusca

Fuscas estacionados em Bangalore, na Índia, em 24 de junho de 2018 no "Dia Mundial" desse emblemático veículo.

A Volkswagen anunciou nesta quinta-feira (13) que em 2019 deixará de produzir definitivamente seu mítico Fusca, com dois últimos modelos para "celebrar a rica herança" de um carro que marcou a história do automóvel.

"A perda do Fusca, depois de três gerações e cerca de sete decênios, deverá provocar uma variada gama de emoções entre seus numerosos devotos", disse Hinrich Woebcken, CEO da Volkswagen América do Norte, que explicou que a empresa se concentrará em veículos maiores e nos carros elétricos.

No entanto, o executivo deixou aberta a possibilidade de que em algum momento o Fusca seja revivido. "Nunca diga nunca", afirmou.

A Volkswagen planeja oferecer dois modelos; um com teto e outro conversível. Ambos terão características semelhantes a versões anteriores e custarão 23.305 dólares ou mais, informou a a empresa.

O popular automóvel estreou no mercado americano no começo da década de 1950 e se popularizou maciçamente com o filme da Disney "Se Meu Fusca Falasse", lançado em 1968.

O "Beetle", como é chamado em inglês, deixou de ser vendido nos Estados Unidos em 1979, mas continuou sendo fabricado no México e no Brasil.

A Volkswagen o relançou nos Estados Unidos em 1997 com a versão "New Beetle".

A história do carro, entretanto, teve início no nazismo, quando foi criado pelo engenheiro austríaco Ferdinand Porsche com o apoio de Adolf Hitler.