Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    57.045,02
    -5.096,03 (-8,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Volkswagen do Brasil vai suspender produção por 12 dias por causa da covid

·2 minuto de leitura
Logo da Volkswagen

A Volkswagen anunciou nesta sexta-feira (19) a suspensão, a partir da próxima quarta-feira e durante 12 dias, da fabricação de veículos em suas quatro fábricas no Brasil, devido à pandemia do coronavírus, que está na fase mais aguda no país.

"Com o agravamento do número de casos da pandemia e o aumento da taxa de ocupação dos leitos de UTI nos estados brasileiros, a empresa adota esta medida a fim de preservar a saúde de seus empregados e familiares", informou a filial da automotiva alemã em um comunicado.

A medida foi adotada "em conjunto com os sindicatos locais" e vigorará entre 24 de março e 4 de abril, afirmou.

Nas fábricas, "só serão mantidas atividades essenciais" e os empregados da área administrativa "atuarão em trabalho remoto", acrescentou.

Em declarações à GloboNews, o presidente da Volkswagen para a América do Sul, afirmou que os trabalhadores vão recuperar os dias não trabalhados no segundo semestre do ano.

Três das quatro unidades da VW no Brasil ficam no estado de São Paulo, o mais industrializado do país, e outra no Paraná (sul).

O comunicado não informa quantos operários serão afetados pela decisão. Consultada pela AFP, a VW do Brasil destacou que não comunica o número de funcionários em áreas de produção, mas que o grupo conta com cerca de 15.000 trabalhadores.

O Brasil enfrenta uma violenta segunda onda da pandemia, com os hospitais de vários estados colapsados e uma campanha de vacinação ainda incipiente.

A média de mortes diárias em sete dias dobrou no último mês, passando de 1.039 em 19 de fevereiro para 2.173 na sexta-feira. O balanço desde a chegada da doença ao Brasil supera as 290.000 mortes.

Durante a primeira onda, as montadoras paralisaram suas linhas de montagem no Brasil, com queda de 99% da produção em abril do ano passado.

js/raa/mvv