Mercado fechará em 1 h 30 min
  • BOVESPA

    108.479,96
    +2.183,78 (+2,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.824,57
    -65,09 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,10
    +0,34 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.807,00
    +10,70 (+0,60%)
     
  • BTC-USD

    63.293,71
    +2.874,32 (+4,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.513,40
    +1.270,72 (+523,62%)
     
  • S&P500

    4.569,96
    +25,06 (+0,55%)
     
  • DOW JONES

    35.772,31
    +95,29 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.501,00
    +160,00 (+1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4532
    -0,1276 (-1,94%)
     

Você sabia? A primeira venda negociada pela internet foi um punhado de maconha

·3 minuto de leitura

O e-commerce hoje é um excelente exemplo de como a internet mudou o mundo. É bem provável que todo usuário da rede tenha pelo menos recebido algum presente comprado por plataformas digitais, mas, até chegar a este ponto de popularidade e importância, o comércio eletrônico teve que começar de algum lugar — e qual foi a primeira coisa a ser negociada pela internet? A resposta curta: um punhado de maconha.

O livro What the Dormouse Said: How the Sixties Counterculture Shaped the Personal Computer Industry, escrito pelo jornalista do New York Times John Markoff, conta que, em 1971, um grupo de estudantes da Universidade de Stanford, nos EUA, realizou tal feito ao negociar uma quantidade não registrada de cannabis.

Quantidade não identificada de maconha foi a primeira coisa a ser negociada pela internet (Imagem: Ckstockphoto/Envato Elements)
Quantidade não identificada de maconha foi a primeira coisa a ser negociada pela internet (Imagem: Ckstockphoto/Envato Elements)

Contudo, isso não aconteceu na internet “livre” como o mundo conhece hoje. Na época, a conexão entre computadores acontecia pela Arpanet, um projeto bem restrito financiado pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada dos Estados Unidos (ARPA, atual DARPA). Os compradores eram também alunos, mas de outra instituição, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT.

“Antes da Amazon, do eBay, o ato seminal do e-commerce foi a negociação de drogas”, pontua o livro de Markoff. Foi só em 1979 que Michael Aldrich, empreendedor britânico, deu à luz ao primeiro sistema de comércio eletrônico, feito que lhe rendeu o título de “inventor” da modalidade.

Início questionável

Apesar da documentaçã feita por Markoff, há controvérsias se essa foi mesmo a primeira manifestação do comércio eletrônico. Na negociação entre os estudantes, nenhum centavo foi transferido pela rede, o que desqualifica a venda de maconha como a primeira da história da internet dependendo da perspectiva.

Se observado pelo ângulo "transação 100% online", a primeira venda só foi acontecer em 1994, quando o Pizza Hut inaugurou um sistema de venda com suporte para o pagamento com cartão. Naquele mesmo ano, a negociação do CD Ten Summoner's Tales do vocalista Sting também foi crucial para a pavimentação do comércio eletrônico, já que o cliente adquiriu o produto pagando também pelo frete e teve os dados cartões de crédito protegidos por encriptação, tal qual acontece no mundo hoje.

O comércio nunca mais parou

Fato é que nem o e-commerce, nem o tráfico de drogas online parou depois dessa negociação. Prova disso é que, em 2019, o FBI anunciou a prisão de 61 pessoas envolvidas comércio ilegal de narcóticos — e com eles, foram apreendidos mais de US$ 7 milhões.

Compras online fazem parte da rotina de milhares de pessoas hoje (Imagem: Elements/Rawpixel)
Compras online fazem parte da rotina de milhares de pessoas hoje (Imagem: Elements/Rawpixel)

No lado legal da moeda dessa história, o e-commerce é um ponto extremamente importante para a internet e para o estilo de vida das pessoas hoje — e, durante a pandemia, a relevância do segmento se tornou ainda maior. Só no primeiro semestre deste ano, compras online movimentaram R$ 53,4 bilhões, aumento de 31% em relação ao mesmo período de 2020 segundo o site E-Commerce Brasil.

Os traficantes da Arpanet dos anos 1970 nem sabiam direito o que tinham acabado de fazer, mas, quer que estejam agora, provavelmente devem se lembrar da aventura que provavelmente deu início a um dos segmentos mais lucrativos do mundo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos