Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.281,42
    -410,21 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Vivo e Facebook terão que indenizar cliente após clonagem de número no WhatsApp

·1 minuto de leitura

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) condenou a operadora Vivo (Telefônica) e o Facebook a ressarcir uma vítima do famoso golpe de clonagem no WhatsApp. A consumidora levantou uma ação contra as empresas pela falha do sistema que permitiu acesso ao número dela, levando sua irmã a cair no golpe e depositar R$ 3.344 para os criminosos.

A juíza responsável pelo caso, Luciana Antoni Pagano, afirmou que houve falha da Vivo na prestação do serviço. Assim, condenou a Telefônica Brasil S.A. e o Facebook Serviços Online do Brasil Ltda. a reembolsar o valor pago pela irmã e ainda arcar com a indenização de R$ 3 mil (cada) por danos morais.

O TJ-SP publicou ainda uma nota pública enfatizando o crescente número de golpes pelo aplicativo de mensagens. "Uma prática comum é o chamado phishing – envio de mensagens que exploram a curiosidade da pessoa, para que ela clique em um link ou anexos", diz a nota assinada pela Assessoria Policial Civil do Tribunal de Justiça de São Paulo.

O documento ainda dá dicas de como evitar as fraudes, são elas: ocultar a foto de perfil no WhatsApp para números não salvos como contatos, ativar a autenticação em dois fatores e desconfiar das mensagens que começam com "troquei de número". A publicação também reforça que, atualmente, os golpes mais comuns são de lojas virtuais falsificadas, concursos e promoções pelas redes sociais, phishing e clonagem.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos