Mercado abrirá em 5 h 54 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,06
    +0,88 (+1,46%)
     
  • OURO

    1.746,60
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    64.579,41
    +3.807,50 (+6,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.395,27
    +101,28 (+7,83%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.890,49
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    28.846,46
    +349,21 (+1,23%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.970,75
    -5,00 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8422
    +0,0110 (+0,16%)
     

Vivienne Westwood completa 80 anos como uma das estilistas mais influentes de todos os tempos

O Globo
·1 minuto de leitura

Considerada uma das estilistas mais influentes de todos os tempos, Vivienne Westwood completa 80 anos nesta quinta-feira. E não faltam momentos marcantes na trajetória da inglesa, que levou a supermodelo Naomi Campbell ao chão com um de seus sapatos e vestiu os punks. Ah, e ela ainda título de Dama do Império Britânico.

Tudo começou no início da década de 1970, quando a designer conheceu Malcolm McLaren, empresário dos Sex Pistols que mais tarde viria a ter um filho com a criadora. Juntos, eles criaram o look do movimento punk, inugurando ali uma estética libertária. A loja no bairro de Chelsea, em Londres, mudava de nome constatemente. Foi Let It Rock, Too Fast To Live, Too Young To Die, Sex...

A estreia na passarela, no entanto, aconteceu apenas em 1981, na capital inglesa, dez anos depois da abertura da icônica loja, no 430 Kings Road. A coleção Pirates foi um sucesso de crítica por ir na contramão do que era "moda" nos anos 1970. Sem McLaren ao seu lado, Vivienne foi além e passou a desenhar coleções com forte inpiração histórica. A era vitoriana do romantismo foi um de seus objetos. Ela também colocou a sensualidade em pauta.

Ainda na década de 1980, a estilista trouxe mais humor ao seu trabalho, parodiando as classes altas. Em 1992, recebeu a condecoração da Ordem do Império Britânico por serviços à moda. Sempre original, não usou roupas íntimas ao aceitar a homenagem da rainha no Palácio de Buckingham.