Mercado fechado

Vitória de Lula e escassez no mercado fizeram rei do ônibus renovar frota

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A eleição de Lula levou Paulo Porto, presidente da Expresso Guanabara, a investir R$ 140 milhões à vista na compra de 90 ônibus da Mercedes para a renovação da frota da empresa, uma das maiores do ramo no país.

"A gente deveria esperar para ter carros com o novo padrão de emissão de poluentes, mas decidimos comprar logo para não correr o risco de haver atrasos na entrega", disse Porto.

Porto afirma que o grupo, fundado por Jacob Barata, poderia esperar um pouco mais para fazer a compra, mas a eleição de Lula acabou colaborando com a antecipação.

"Acreditamos que a economia vai melhorar", disse. "Já sabemos como foi o governo dele [Lula] e a sinalização dada até o momento é para uma equipe de coalização, num esquema muito parecido com o que foi o primeiro mandato."

Um dos principais executivos do grupo Guanabara —que conta ainda com outras empresas de ônibus— Porto preside a Abrati, associação que congrega as empresas do setor e que, juntas, faturam mais de R$ 30 bilhões por ano. Ele afirma que outras do ramo também decidiram antecipar investimentos.