Mercado fechará em 4 h 17 min
  • BOVESPA

    112.111,89
    +233,36 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,19
    -0,09 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.842,10
    +11,90 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    19.365,03
    +415,78 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,75
    +6,34 (+1,69%)
     
  • S&P500

    3.672,56
    +3,55 (+0,10%)
     
  • DOW JONES

    29.994,98
    +111,19 (+0,37%)
     
  • FTSE

    6.462,82
    -0,57 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.495,25
    +41,00 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2747
    -0,0451 (-0,71%)
     

Vitória de Biden poderia afetar acordos de private equity

Crystal Tse, Nabila Ahmed e Elizabeth Fournier
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Uma vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em 3 de novembro teria um amplo impacto sobre fusões e aquisições, já que o democrata mira uma alíquota mais alta de impostos corporativos, novas regulamentações e maior controle antitruste.

Os maiores perdedores podem ser profissionais de private equity. Se as empresas não venderem ativos antes do fim do ano, podem ter que pagar quase o dobro da alíquota atual de imposto sobre ganhos de capital sobre quaisquer lucros - um impacto que também pode dissuadir empresas financiadas por fundadores de buscarem uma venda.

Mas pode ser um ano agitado para negócios no setor de combustíveis fósseis, onde empresas provavelmente continuarão a consolidar e desinvestir ativos que teriam poucas oportunidades de crescer sob o governo Biden.

“O que compradores sofisticados estão fazendo agora é examinar as aquisições sob vários resultados políticos e fiscais diferentes”, disse Jim Langston, sócio para fusões e aquisições do escritório de advocacia Cleary Gottlieb Steen & Hamilton.

Alíquota de imposto corporativo

No geral, as empresas que pagam uma alíquota mais elevada de imposto corporativo podem ter reduzido o fluxo de caixa para possíveis aquisições. Há uma chance de 90% de que um Senado liderado pelos democratas aumente a alíquota de 21% para 28% no primeiro ano de um novo governo, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. A probabilidade cai para cerca de 50% se os republicanos mantiverem o controle do Senado, mostram os dados.

Firmas de private equity que passaram de parcerias de capital aberto para corporações sob o governo Trump - como Blackstone, KKR e Apollo Global Management - estariam entre as que pagariam a alíquota mais alta.

Ganhos de capital

Biden propõe aumentar as alíquotas de imposto sobre ganhos de capital de longo prazo e impostos sobre dividendos para 39,6% sobre lucros acima de US$ 1 milhão ao ano, dos atuais 20% (mais 3,8% no imposto de renda sobre investimento líquido). Se os democratas também assumirem o Senado, há 80% de chance de isso acontecer nos próximos um a dois anos, de acordo com o modelo de previsão de Bloomberg. Donald Trump disse que pensa “seriamente” em reduzir ainda mais as alíquotas.

A mudança afetaria os retornos de empresas de private equity, cujos lucros de fundos são tributados como ganhos de capital.

Algumas firmas de aquisição já correm para se livrar de certos ativos antes do fim do ano e evitar o aumento de impostos, dizem negociadores. O imposto também pode atingir empresas controladas por fundadores que querem vendê-las, bem como firmas de capital de risco que estão entre os investidores.

“Nós, como grupo, vimos dezenas de transações impulsionadas por isso”, disse Brian Richards, presidente da prática global de private equity do escritório de advocacia Paul Hastings. Richards disse que algumas empresas estão até vendendo negócios que acham que valeriam mais no ano que vem, porque o aumento potencial no valor não seria suficiente para compensar o impacto tributário.

“Eles optaram por vender agora pelo que acreditam ser um preço com desconto, porque resulta em melhores números após os impostos”, disse.

O setor de private equity começou 2020 com mais dinheiro do que nunca, de acordo com o provedor de dados Preqin, e os fundos disponíveis haviam aumentado para quase US$ 1,5 trilhão em 30 de junho.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.