Mercado fechado

Vitória de Biden favoreceria remessas e política da AL, diz Citi

Aline Oyamada
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Uma vitória de Joe Biden na eleição presidencial dos Estados Unidos seria positiva para o fluxo de remessas para a América Latina e melhoraria as relações políticas e comerciais, de acordo com o Citigroup.

Segundo economistas liderados por Ernesto Revilla, as relações dos EUA com a região melhorariam em “múltiplas dimensões”, já que o candidato democrata favorece o livre comércio e mais engajamento na economia global. Sua tendência a ampliar os gastos fiscais também seria positiva, especialmente se isso resultar em um dólar mais fraco.

“Mudanças nas políticas dos EUA serão muito importantes para a América Latina”, escreveram economistas em relatório. “Vale lembrar que, como vice-presidente, foi Biden quem liderou a política dos EUA em relação à América Latina em uma ampla gama de questões.”

As remessas com origem nos EUA podem melhorar com Biden, já que o governo estaria menos interessado em reprimir a migração ilegal, disse o Citi. Um grande pacote fiscal, que é mais provável do que sob um governo Trump, também seria positivo para remessas.

O México, o Caribe e a América Central seriam os que mais se beneficiariam com o melhor cenário para as remessas e comércio, bem como com o crescimento mais forte dos EUA, disseram economistas do Citi.

Mesmo que uma vitória de Biden possa ser considerada ruim para alguns presidentes latino-americanos com bom relacionamento pessoal com o presidente Trump, como o mexicano Andrés Manuel López Obrador e Jair Bolsonaro, o Citi disse não acreditar que isso signifique automaticamente que um governo democrata seria uma má notícia para seus países.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.