Mercado fechará em 1 min
  • BOVESPA

    128.020,08
    -1.239,41 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.143,15
    -435,95 (-0,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,12
    -1,03 (-1,43%)
     
  • OURO

    1.776,30
    -85,10 (-4,57%)
     
  • BTC-USD

    37.728,02
    -1.015,66 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    937,12
    -32,76 (-3,38%)
     
  • S&P500

    4.224,36
    +0,66 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.829,90
    -203,77 (-0,60%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.199,75
    +218,50 (+1,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9804
    -0,0816 (-1,35%)
     

Visita virtual te levará para as instalações do acelerador de partículas Sirius

·2 minuto de leitura

No próximo domingo (16), é celebrado o Dia Internacional da Luz. A data foi escolhida porque foi neste dia, na década de 1960, que ocorreu a primeira emissão a laser. Assim, para comemorar, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) irá realizar uma visita virtual guiada pelas instalações do Sirius, o acelerador de elétrons localizado em Campinas, no interior de São Paulo. O evento será transmitido no YouTube na segunda-feira (17).

A ideia da data é realizar diversas celebrações em todo o mundo, incluindo eventos e outras ações para divulgar os impactos e a importância do conhecimento das propriedades da luz, tão essencial para o avanço científico e tecnológico e para melhorar a vida em sociedade.

O evento será realizado virtualmente com transmissão no canal do CNPEM no YouTube, e você acessá-lo clicando aqui. A visita começa às 10h, no horário de Brasília.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Inaugurado em 2018, o Sirius é, sem dúvidas, a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no Brasil. O equipamento fica em um prédio de quase 70 mil m² e, lá, partículas carregadas e aceleradas quase à velocidade da luz são desviadas por campos magnéticos. É assim que elas produzem a luz síncrotron, que pode ser usada para estudos sobre a composição e a estrutura da matéria em diferentes formas e aplicações. Essa luz é um tipo de radiação eletromagnética que se estende por uma faixa ampla do espectro eletromagnético, e engloba a luz visível, infravermelha, ultravioleta e até raios X.

Com o acelerador, é possível desenvolver diversas pesquisas acadêmicas e industriais, que contribuem para solucionar desafios em áreas que vão desde o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos para doenças até tecnologias com uso na agricultura, fontes renováveis de energia, entre outras aplicações. Assim, durante a visita, os usuários podem conhecer o projeto e conferir os detalhes das primeiras estações experimentais do Sirius.

O Sirius é o maior investimento da ciência brasileira e uma das ferramentas mais avançadas de pesquisas em todo o mundo e, segundo Antônio José Roque da Silva, diretor do projeto, foi criado para ser uma ferramenta na fronteira do conhecimento "com o que há de mais moderno no mundo, com tecnologia brasileira, feito por pesquisadores brasileiros, ajudando a sociedade brasileira a resolver suas questões de futuro", disse em entrevista.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos