Mercado fechado

Visa prepara maior mudança em taxas de intercâmbio em uma década

Jenny Surane

(Bloomberg) -- A Visa planeja a maior mudança em uma década nas taxas que comerciantes pagam nos Estados Unidos para aceitarem seus cartões. O objetivo da empresa é convencer mais pessoas a abandonarem os cheques e ajustar as taxas para novos negócios, como serviços de transporte por aplicativo.

As taxas de intercâmbio da empresa - cobradas toda vez que um consumidor usa um cartão - aumentam ou diminuem dependendo do comerciante e da forma como o consumidor paga pelas compras, segundo documento enviado pela Visa aos bancos que descreve as alterações. Taxas mais altas seriam cobradas para transações em sites de comércio eletrônico, enquanto varejistas em determinadas categorias de serviços, como imóveis e educação, pagariam tarifas menores.

“A estrutura de intercâmbio de crédito nos EUA permaneceu praticamente inalterada nos últimos 10 anos”, disse a Visa no documento visto pela Bloomberg. “Com base na revisão mais recente nos EUA, a Visa está ajustando sua estrutura de taxas de intercâmbio padrão nos EUA para otimizar a aceitação e o uso e refletir o valor atual dos produtos Visa.”

Embora as alterações correspondam a apenas alguns centavos em cada transação, esses centavos fazem diferença. As taxas por operação já são um ponto polêmico entre comerciantes, bancos e redes de pagamento, como Visa e Mastercard. Varejistas há muito reclamam dos mais de US$ 100 bilhões gastos todos os anos para aceitar pagamentos eletrônicos, um número que cresceu nos últimos anos com o aumento das taxas e migração dos consumidores para cartões premium, que têm tafifas de intercâmbio mais altas.

A Visa não quis comentar as alterações propostas no documento. A Mastercard, que possui suas próprias políticas de intercâmbio, não comentou imediatamente se está propondo suas próprias mudanças.

Com as alterações da Visa, a taxa de intercâmbio para as chamadas transações sem cartão, que incluem aquelas feitas on-line ou por telefone, vai aumentar. Para um cartão Visa tradicional, a taxa em uma transação de US$ 100 passará de US$ 1,90 para US$ 1,99. Para cartões Visa premium, a taxa aumentará de US$ 2,50 para US$ 2,60.

Em uma transação com cartão premium de US$ 50 para a categoria que inclui grandes supermercados, a taxa de intercâmbio cairá 33%, para US$ 0,77 em relação à tarifa atual de US$ 1,15.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórter da matéria original: Jenny Surane em Nova York, jsurane4@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Michael Moore, mmoore55@bloomberg.net, Steve Dickson, Daniel Taub

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.