Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,01
    -0,66 (-1,05%)
     
  • OURO

    1.781,20
    +2,80 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    54.955,64
    +17,76 (+0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.253,06
    +18,64 (+1,51%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.882,35
    +22,48 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.778,50
    -15,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6761
    -0,0264 (-0,39%)
     

Visa começará a permitir pagamento com criptomoedas

Alveni Lisboa
·3 minuto de leitura

A Visa deverá adotar em breve o uso da criptomoeda USD Coin (USDC) em seu sistema de pagamento. A gigante do cartão de crédito revelou a criação de um programa piloto de parceria colaborativa com a Crypto.com, uma plataforma de compra e venda de ativos digitais.

Caso se concretize, será um passo importante em direção a consolidação do uso das criptomoedas em todo o mundo, o que pode estreitar os laços entre as moedas convencionais e digitais. A USD Coin é um tipo de criptomoeda conhecida como stablecoin, pois tem seu valor de mercado atrelado ao dólar americano.

(Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)
(Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)

Se o teste com a Crypto.com for bem-sucedido, a Visa poderá expandir suas operações também para outros mercados — a empresa planejava a integração da moeda digital à sua infraestrutura nos últimos 12 meses. Ela também está trabalhando com o Anchorage, o primeiro banco de ativos digitais licenciado pelo Escritório do Controlador da Moeda dos Estados Unidos.

Não há planos, até o momento, de adoção de outras criptomoedas como Bitcoin ou Ethereum. A Visa não revelou mais detalhes, mas pode ter ligação com a volatilidade deste mercado, que costuma valorizar na mesma velocidade com que desvaloriza. A USDC não sofre tanto com esse movimento porque é diretamente vinculada à moeda norte-americana, que tem variações diárias bem menores.

Fortalecimento das moedas digitais

A mudança da Visa ocorre no momento em que as principais empresas financeiras, incluindo BNY Mellon, BlackRock e MasterCard, adotaram algumas moedas digitais, o que pode indicar que as criptomoedas se tornarão uma parte regular do cotidiano da população. Ter a opção de pagamento com o USDC pode ajudar as companhias do segmento a contornar os tradicionais empecilhos para adoção de moedas virtuais.

Hoje, a Visa e outras empresas do ramo exigem que os parceiros liquidem seus pagamentos usando a moeda fiduciária regular. A carteira de criptomoedas depositará o dinheiro tradicional em uma conta bancária, o qual será transferido para a Visa no final do dia para liquidar quaisquer transações.

“As fintechs criptonativas querem parceiros que entendam seus negócios e as complexidades dos fatores da moeda digital. O anúncio de hoje representa um marco importante em nossa capacidade de atender às necessidades das fintechs que atuam no ramo de criptomoedas estáveis. É realmente uma extensão do que fazemos todos os dias, facilitando com segurança os pagamentos em moedas diferentes em todo o mundo”, disse o vice-presidente executivo e diretor de produtos da Visa Jack Forestell.

Cofundador e CEO da Crypto.com, Kris Marszalek lembra que houve um crescimento recorde no ecossistema dos ativos digitais no ano passado. “Para continuar acelerando a transição do mundo para a criptomoeda, precisamos de parceiros que entendam a oportunidade e as ferramentas que nos ajudarão a chegar ao mercado com mais rapidez e eficiência. Como parceiro Visa há vários anos, estamos entusiasmados em aprofundar esse relacionamento por meio de nosso acordo global e em ser pioneiros em pagamentos de moeda estável”, celebrou.

Será que agora as criptomoedas vão ganhar mais espaço no mercado mais tradicional? Ou ainda falta muito para os ativos virtuais estarem presentes no cotidiano? Comente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: