Mercado fechará em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    108.715,48
    -1.630,34 (-1,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.963,18
    -413,71 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,19
    -0,10 (-0,09%)
     
  • OURO

    1.865,50
    +17,70 (+0,96%)
     
  • BTC-USD

    29.042,93
    -1.362,10 (-4,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    647,16
    -8,67 (-1,32%)
     
  • S&P500

    3.888,60
    -85,15 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    31.445,53
    -434,71 (-1,36%)
     
  • FTSE

    7.494,72
    -18,72 (-0,25%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    -253,38 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.613,75
    -421,50 (-3,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2000
    +0,0523 (+1,02%)
     

Violino de quase 300 anos pode chegar a R$ 53 milhões em leilão

Violino de quase 300 anos pode chegar a R$ 53 milhões em leilão. Foto: REUTERS/Benoit Tessier.
Violino de quase 300 anos pode chegar a R$ 53 milhões em leilão. Foto: REUTERS/Benoit Tessier.
  • Violino raro, feito em 1736 pelo luthier italiano Giuseppe Guarniere, será leiloado no mês que vem e pode chegar a US$ 10,6 milhões;

  • Cerca de 150 violinos feitos por Giuseppe Guarniere sobreviveram até os dias atuais;

  • O instrumento foi colocado à venda pelo renomado violinista francês Regis Pasquier.

Um violino raro, desenvolvido pelo luthier italiano Giuseppe Guarnieri em 1736, apelidado de “Leonardo Da Vinci” dos instrumentos, será leiloado em maio pela primeira vez após décadas e pode chegar a US$ 10,6 milhões, cerca de R$ 53 milhões na cotação atual. O item é um dos cerca de 150 feitos pelo luthier que sobreviveram até os dias atuais.

Leia também:

O instrumento está sendo vendido por pelo violinista de renome mundial Regis Pasquier, que o adquiriu há mais de duas décadas, tocando-o em diversas ocasiões, entre elas, concertos no Carnegie Hall, em Nova York, e na Ópera Garnier, em Paris.

O violonista está vendendo o instrumento com a intenção de passá-lo a uma nova geração de músicos, continuando a promover sua longevidade.

Em comunicado à Forbes, Sophie Perrin, leiloeira da casa de leilão Aguttes, responsável pela venda do item, afirma que apesar da grande quantidade de violinos existentes à venda, leiloar um instrumento criado por Giuseppe Guarnieri é “como vender um Rembrandt, um Goya ou mesmo uma pintura de Leonardo da Vinci”.

A qualidade e a longevidade rivalizam com as dos instrumentos produzidos pelo contemporâneo italiano Antonio Stradivari, luthier mais prolífico cujos violinos chegaram em maior quantidade até dias atuais.

*Com informações da Forbes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos