Mercado fechado

Violência invisível: Medo, culpa e vergonha podem ser fatores explosivos nas relações

Fernando Rocha
·1 minuto de leitura

A psicanalista e escritora Elisama Santos é a convidada do ‘É Normal?’ desta semana. No primeiro episódio, ela explicou que o segredo para uma comunicação não-violenta é saber escutar. Hoje, ela opina que muitas vezes aspectos violentos aparecem na comunicação sem que a pessoa se dê conta.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Eu acredito que, na maior parte das vezes, as pessoas são violentas sem querer. As pessoas estão tão apegadas aos próprios medos e desejos que não vê o outro e usa qualquer ferramenta para conseguir o que quer do outro”, explica. Mas a profissional reforça que isso não é desculpa.

Veja também

“É um passo para a pessoa assumir a responsabilidade e sair do jogo de vilão e mocinho. 100% das vezes que alguém que o outro faça algo por si e tenta isso com vergonha, medo, culpa ou senso de obrigação, está sendo violenta”, conta.

Elisama explica que usar estes sentimentos como ferramenta de negociação é uma técnica aprendida durante a formação de cada pessoa, inclusive na relação com os pais na infância. Assista o vídeo acima e confira!

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube