Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    -0,13 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    38.810,41
    +2.914,48 (+8,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Violência continua em alguns protestos na Colômbia; capital se acalma

·1 minuto de leitura
Protesto em Bogotá

Por Oliver Griffin

BOGOTÁ (Reuters) - Os protestos na Colômbia rumaram para o nono dia nesta quinta-feira, quando autoridades da pequena cidade de Pereira ofereceram uma recompensa por informações depois que três pessoas foram baleadas, um incidente ligado a manifestações ocorridas de madrugada.

Os protestos foram convocados originalmente em oposição a um plano de reforma tributária já descartado, mas desde então os manifestantes ampliaram as exigências para incluir uma ação governamental para enfrentar a pobreza, a violência policial e a desigualdade nos sistemas de saúde e educação.

Passeatas em todo o país foram ofuscadas por episódios de violência – 24 pessoas morreram, a maioria manifestantes. Organizações internacionais alertam para o uso excessivo de força da polícia.

"A polícia nacional rejeita redondamente os atos que aconteceram em Pereira perto do viaduto, onde três pessoas foram feridas por armas de fogo", disse o comandante da polícia municipal, coronel Aníbal Villamizar, em uma mensagem de vídeo na noite de quarta-feira.

Uma recompensa equivalente a cerca de 13 mil dólares está sendo oferecida por informações que levem à prisão dos responsáveis, disse o prefeito, Carlos Maya, no Twitter.

Ainda na quarta-feira, 12 mil pessoas marcharam em Medellín, informou a prefeitura em um comunicado.

As manifestações foram essencialmente pacíficas, mas houve choques entre manifestantes e policiais mais tarde no mesmo dia no Parque de los Deseos.

Após uma noite violenta em Bogotá no início da semana, "tivemos um dia bem mais calmo", disse a prefeita, Claudia López, acrescentando que mais 23 civis e seis policiais se feriram, mas que inicialmente as lesões pareciam leves.