Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,40
    +0,27 (+0,43%)
     
  • OURO

    1.770,60
    -9,60 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    56.228,63
    +466,70 (+0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.274,82
    -24,13 (-1,86%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.894,75
    -134,75 (-0,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6786
    -0,0075 (-0,11%)
     

Vídeo em que Ludhmila canta “presidente, i love you” para Dilma minou apoio à médica no Palácio

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Ludhmila canta para Dilma - Foto: Reprodução/Vídeo
Ludhmila canta para Dilma - Foto: Reprodução/Vídeo

Ludhmila Hajjar rejeitou o convite de Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Saúde alegando falta de “convergência técnica”. Um vídeo circulado nos últimos dias no Palácio do Planalto, porém, teria sido fundamental para que ela já não contasse com o apoio das pessoas próximas ao presidente.

De acordo com a coluna de Bela Megale no jornal O Globo, a imagem de Ludhmila ficou arranhada com os bolsonaristas por causa do vídeo em que a médica canta a música “Amor I Love You”, sucesso na voz de Marisa Monte, a Dilma Rousseff.

Leia também:

Não se sabe ao certo a data da gravação, mas ela foi feita em uma das internações de Dilma no Hospital Sírio Libanês ao longo de seu mandato. Em algumas oportunidades, a então presidente foi submetida a tratamentos sob a supervisão da própria Ludhmila.

No vídeo, a médica aparece tocando violão e cantando o refrão da música, substituindo, em um momento, o trecho “amor, I love you” por “presidente, I love you” e arrancando elogios de Dilma.

A coluna de Megale diz que integrantes do governo admitiram o peso do vídeo para que Ludhmila perdesse prestígio e o apontaram como fundamental para a não nomeação da médica para o lugar de Eduardo Pazuello.

Na noite de segunda-feira, horas depois de a recusa de Ludhmila vir à tona, Bolsonaro nomeou o médico Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde. Ele é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia e se tornou o quarto a assumir a pasta em meio à pandemia de coronavírus.