Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    47.856,11
    +495,20 (+1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Vice-presidente da Argentina pressiona pelo adiamento do acordo da dívida do FMI até que a pandemia diminua, diz Financial Times

·1 minuto de leitura

(Reuters) - A vice-presidente argentina Cristina Kirchner e seus aliados querem adiar um acordo de dívida de 44 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI) até que a pandemia de Covid-19 diminua, informou o Financial Times no domingo, citando autoridades.

Há cerca de uma semana, o presidente argentino Alberto Fernández disse acreditar que o FMI deveria conceder ao país termos mais flexíveis.

A Argentina está há meses em negociações com o FMI para reestruturar os termos de um empréstimo buscado pelo antecessor de Fernandez, Mauricio Macri, para enfrentar uma crise econômica que fez a pobreza disparar em um dos maiores produtores mundiais de grãos.

(Reportagem de Kanishka Singh em Bengaluru; edição de Lisa Shumaker)