Mercado fechará em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    109.380,22
    +403,52 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.902,71
    +234,07 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,86
    -0,42 (-0,55%)
     
  • OURO

    1.747,80
    -6,20 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    16.164,55
    -387,99 (-2,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,12
    -2,17 (-0,57%)
     
  • S&P500

    3.998,04
    -28,08 (-0,70%)
     
  • DOW JONES

    34.164,81
    -182,22 (-0,53%)
     
  • FTSE

    7.491,50
    +4,83 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.711,75
    -71,00 (-0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6099
    -0,0145 (-0,26%)
     

Vice-presidente do BC britânico defende mais altas de juros, mas vê potencial para cortes

Vice-presidente do banco central britânico, Dave Ramsden

Por David Milliken e Andy Bruce

LONDRES (Reuters) - O vice-presidente do banco central britânico, Dave Ramsden, defendeu mais altas de juros nesta quinta-feira, mas disse que irá avaliar cortes se a economia e as pressões inflacionárias forem diferentes de sua expectativa.

Ramsden é o mais recente membro do Comitê de Política Monetária a mencionar a possibilidade de cortar os juros em algum momento, depois que o Banco da Inglaterra disse neste mês que as expectativas do mercado de juros acima de 5% eram muito altas.

"Embora meu viés seja de mais aperto, se a economia evoluir de forma diferente da minha expectativa e a persistência da inflação deixar de ser uma preocupação, então eu consideraria reduzir a taxa bancária, conforme apropriado", disse Ramsden em um discurso no King's College London.

Mas Ramsden também afirmou que "continuará a votar para reagir com força" se as pressões inflacionárias se mostrarem mais persistentes do que o esperado. Ele descreveu sua abordagem como "vigilante e reativa".

Uma pesquisa da Reuters publicada na quarta-feira mostrou que a maioria dos economistas acredita que o Banco da Inglaterra elevará os juros novamente no próximo mês para 3,5%, de 3,0%, embora quase um quarto deles tenha dito que é provável que haja um aumento maior dos juros para 3,75%.

O banco central elevou os juros oito vezes desde dezembro de 2021.

(Reportagem adicional de Suban Abdulla)