Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.249,09
    +185,52 (+0,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Vice da Libertadores aumenta pressão no Flamengo sobre Renato Gaúcho e departamento médico

·2 min de leitura

O vice-campeonato da Libertadores aumentará a pressão no Flamengo sobre o técnico Renato Gaúcho e o trabalho da comissão técnica e do departamento médico. Sobretudo pelo mau desempenho da equipe aliado a mais um caso de lesão na final contra o Palmeiras.

Filipe Luís saiu machucado ainda no primeiro tempo, e jogadores como Bruno Henrique e Éverton Ribeiro se apresentaram bem abaixo fisicamente, saindo no decorrer da partida. O próprio treinador tentou preservar ao máximo o elenco para a grande decisão, mas já admitia que haveria sacrifícios.

Arrascaeta, dúvida até a última semana, jogou 90 minutos após ter lesão grave com o Uruguai. O sucesso na recuperação, porém, não permitiu tempo para treinamentos e maior afinação entre os jogadores de ataque.

A falta de ideias, aliada a este desempenho físico, cai sobre os sombros de Renato. O técnico tem contrato até o fim de dezembro, e mais três partidas do Brasileiro a disputar. Sem o Mundial de Clubes pela frente, a renovação é dada como improvável até por seu estafe. O tema será debatido pela diretoria a partir do retorno da delegação ao Rio, hoje.

Recentemente, o treinador chegou a colocar o cargo após eliminação na Copa do Brasil. No entanto, a diretoria apostou na volta por cima para a final da Libertadores, com apoio dos jogadores. O presidente Rodolfo Landim e o vice de futebol Marcos Braz chegaram a recuar em uma entrevista coletiva do próprio Braz, que falaria sobre as lesões.

O departamento médico e a comissão técnica ficaram pressionados por apresentar melhores resultados, mas também estavam contrariados pelo clube não valorizar alguns funcionários. Nesse cenário, um processo de reformulação ganhou força, mas a diretoria pretendia fazer uma avaliação final ao término da temporada. Sem muito o que disputar, esse processo ganhará impulso no Flamengo, que tem eleição para presidente no sábado, dia 4 de dezembro. Landim é favorito, apesar do ano ruim no futebol, só com título estadual.

A frustração pelo tricampeonato do Flamengo é a terceira de Renato Gaúcho em uma final de Libertadores. Nas duas anteriores, uma foi como técnico, outra como jogador.

A última decepção antes da derrota para o Palmeiras foi em sua primeira Libertadores como treinador, comandando o Fluminense em 2008, há 13 anos. O time carioca perdeu para a LDU-EQU, nos pênaltis, no Maracanã.

Como atleta, Renato Gaúcho tropeçou no ano seguinte ao primeiro título, com o Grêmio, em 1983. Em 1984, o ídolo da camisa sete foi derrotado para o Independiente-ARG. Renato Gaúcho tem apenas o título de 2017 com o Grêmio no currículo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos