Mercado fechado

Viagem de Wajngarten a SP põe 36 funcionários do Planalto em quarentena

Fabio Murakawa

O secretário testou positivo para o novo coronavírus na quinta-feira, depois de voltar dos EUA A viagem de avião do secretário especial de Comunicação Social (Secom), Fabio Wajngarten, de Brasília a São Paulo, na última quarta-feira, acabou colocando outras 36 pessoas em monitoramento por suspeita de coronavírus. Tratam-se da tripulação, de membros do cerimonial, da segurança e outros funcionários do Palácio do Planalto que se deslocavam para preparar uma viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Estado, que estava prevista para a próxima semana.

Wajngarten havia chegado ao Brasil na mardugada de terça para a quarta-feira. Estava no voo que trouxe de volta o presidente Jair Bolsonaro e sua comitiva de ministros e auxiliares após uma viagem quatro dias aos Estados Unidos. Ele dormiu em Brasília e à, tarde, seguiu para São Paulo.

O VC-99 da Força Aérea Brasileira Brasileira (FAB) levando o secretário partiu à capital paulista, 13h24 de quarta. O pouso, no aeroporto de Congonhas, ocorreu às 14h50, ainda de acordo com o GSI.

Embora ainda não tivesse a doença diagnosticada, fontes a par do tema que Wajngarten já apresentava alguns sintomas similares à gripe. Essas fontes afirmam que o secretário foi aconselhado a não embarcar.

Segundo dados repassados ao Valor pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a aeronave que levou o secretário tinha 31 passageiros e 6 tripulantes. O Valor apurou que todos eles foram submetidos a exame para a detecção do vírus e estão em isolamento.

O voo que levou Wajngarten a São Paulo faz parte do Escalão Avançado da Presidência da República (Escav), confirmou o GSI. O Escav normalmente leva o pessoal encarregado de preparar visitas do presidente a cidades no Brasil e outros países. Segundo relatos, o presidente visitaria a cidade de Registro na próxima semana.

O Valor ouviu nove fontes da Presidência desde a manhã de quinta-feira até o fim da tarde de hoje, quando recebeu do GSI os dados referentes ao voo que levou Wajngarten de Brasília a São Paulo.

A reportagem entrou em contato com Wajngarten, por WhatsApp, e com a Secom, mas não obteve resposta.

Secretário Especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten

Anderson Riedel/PR