Mercado abrirá em 5 h 11 min
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,38 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,82
    -0,29 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.775,50
    -1,20 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    23.428,47
    -482,48 (-2,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,15
    -15,67 (-2,74%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.502,31
    -13,44 (-0,18%)
     
  • HANG SENG

    19.716,51
    -205,94 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.448,50
    -44,75 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2473
    -0,0119 (-0,23%)
     

Viúvas coletam esperma de soldados mortos em Israel para gerar filhos; entenda

Em Israel, viúvas estão coletando o esperma de soldados mortos na expectativa de que um dia esse fluido extraído possa ser usado para gerar um filho. A prática pode parecer excêntrica, mas já foi responsável por gerar pelo menos dez crianças no país.

Em março, o parlamento do Oriente Médio aprovou uma legislação preliminar apoiando a prática de extração de esperma. Para se ter uma noção, a ideia dos israelenses é expandir isso para o resto da sociedade, embora tenha começado apens com os militares.

"Você precisa servir seu país por lei. Cuidamos de você e, se você morrer, cuidamos bem de seus pais e filhos. Agora temos a tecnologia para que, se você não tiver um filho e quiser deixar um, possamos dar para sua esposa ou para os pais", declara Zvi Hauser, membro do parlamento israelense e patrocinador do projeto de lei.

Alguns países proibiram procedimentos semelhantes, enquanto outros mantêm uma regulamentação que varia entre os estados, como é o caso dos EUA.

Famílias extraem esperma de soldados mortos para gerar crianças (Imagem: iLexx/envato)
Famílias extraem esperma de soldados mortos para gerar crianças (Imagem: iLexx/envato)

Em Israel, grande parte dos defensores dessa prática são os pais dos soldados jovens, lutando pelo direito de ter netos. "Quando você recupera o esperma de um homem morto, você está tentando restaurar algo perdido em circunstâncias trágicas. É como erguer um monumento vivo. É do interesse de uma criança nascer de pais vivos e não em um estado de orfandade planejada", afirma Gil Siegal, chefe do Centro de Direito Médico, Bioética e Política de Saúde do Israel's' Ono Academic College.

Na prática, o esperma é extraído do soldado cerca de 24 horas após a sua morte, preservado em nitrogênio líquido e, anos depois, usado para fertilizar os óvulos. O procedimento custa US$ 1 mil (o equivalente a pouco mais de R$ 5 mil) e o armazenamento custa US$ 100 por ano (o equivalente a pouco mais de R$ 500).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos