Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.487,58
    +589,46 (+2,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Veteranos do Bitcoin ficam de olho na marca dos US$ 19.511

(Bloomberg) -- Os números redondos são uma fixação para observadores de gráficos do Bitcoin, com muitos de olhos no patamar de US$ 20.000 em meio ao mais recente tombo. Mas os veteranos sabem que devem ficar atentos a um nível mais importante: US$ 19.511.

Essa foi a máxima que a moeda digital atingiu durante o ciclo de alta de 2017. Ao longo de sua história de negociação de aproximadamente 12 anos, o Bitcoin nunca caiu abaixo dos picos de ciclos anteriores, de acordo com Vetle Lunde e Jaran Mellerud da Arcane Research, então uma queda abaixo dessa marca seria muito significativa.

“Um mergulho abaixo deste nível pode levar muitos ‘hodlers’ a desistirem e a uma redução na alavancagem, o que faz desse número um nível de suporte muito importante para prestar atenção”, escreveu o par em nota, referindo-se ao jargão do setor para detentores firmes de longo prazo.

Além disso, fora a importância psicológica desse patamar, a maior parte das posições vendidas em opções de Bitcoin é baseada no preço de exercício de US$ 20.000, segundo Arcane, “o que pode contribuir para a pressão de venda no mercado à vista caso o preço caia abaixo disso”.

As criptomoedas despencaram este ano, algumas até 90%, à medida que o Federal Reserve aumenta juros para combater a inflação desenfreada. Os tokens digitais sofrem um período particularmente ruim esta semana, após o mercado precificar mais agressividade ainda do banco central americano. O Bitcoin caiu cerca de 30% desde sexta-feira, um dos piores períodos de seis dias já registrados. A moeda não teve um único dia de alta nas últimas nove sessões.

A moeda atingiu seu ponto mais baixo desde dezembro de 2020, o que significa que ninguém que comprou no último ano e meio está no lucro.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos