Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,99
    -1,60 (-1,46%)
     
  • OURO

    1.814,60
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    28.781,00
    -1.694,09 (-5,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,57
    -20,11 (-3,00%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.830,00
    -105,50 (-0,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2234
    +0,0051 (+0,10%)
     

VESA lança certificação AdaptiveSync para VRR em monitores gamer

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Órgão internacional responsável por gerenciar diversas tecnologias relacionadas a telas, incluindo a conexão DisplayPort, a VESA anunciou nesta semana o lançamento de um programa de certificação para o AdaptiveSync, recurso de taxa de atualização variável (VRR).

Ainda que o protocolo fosse aberto e amplamente adotado, a organização não possuía um sistema de certificação aberto para garantir a qualidade do VRR, ficando a cargo de companhias como AMD e Nvidia estabelecer selos próprios com requisitos mínimos e diferentes níveis de recursos. A maior vantagem da nova certificação é justamente sua natureza aberta, preparada para funcionar com qualquer dispositivo compatível, independente de marcas.

Certificação AdaptiveSync para telas gamer

O programa atende pelo nome VESA AdaptiveSync Display Compliance Test Specification, ou apenas AdaptiveSync Display CTS, e apresenta duas categorias: AdaptiveSync, preparada especificamente para monitores e displays gamer com altas taxas de atualização, e a inédita MediaSync, destinada a tornar a reprodução de conteúdo mais suave em taxas mais baixas de quadros.

Mais exigente das duas, por cobrir altas taxas de quadros e ter a baixa latência como um dos requerimentos, a AdaptiveSync requer que o monitor apresente taxa de atualização mínima de até 60 Hz, e máxima de 144 Hz ou mais. Além disso, é obrigatória a presença de Low Framerate Compensation, tecnologia responsável por sincronizar placas de vídeo e o display para evitar a quebra de quadros, o tearing.

Com categoria para games (AdaptiveSync) e reprodução de conteúdo (MediaSync), a certificação AdaptiveSync Display CTS promete melhor consistência em monitores com VRR (Imagem: VESA)
Com categoria para games (AdaptiveSync) e reprodução de conteúdo (MediaSync), a certificação AdaptiveSync Display CTS promete melhor consistência em monitores com VRR (Imagem: VESA)

Outros aspectos exigidos incluem requerimentos para determinados níveis de cintilação, frames pulados, sobreposição de quadros e tempo de resposta (GtG), que deve se estabelecer abaixo dos 5 ms. O valor é elevado, considerando que muitos monitores gamer modernos anunciam tempos de resposta de até 1 ms, mas os testes da VESA serão mais exigentes.

Além de coletar uma média dos tempos de resposta observados, em vez do melhor resultado, a avaliação também será feita em ambiente com temperatura controlada entre 22,5 ℃ e 24,5 ℃, considerando que o calor afeta positivamente essa métrica, e deve atender a um máximo de 20% para overshoot e de 15% para undershoot — efeitos conhecidos como "inverse ghosting", em que rastros esbranquiçados são deixados na tela.

Monitores gamer aprovados contarão com um logo da certificação AdaptiveSync acompanhado da taxa máxima de atualização em que o VRR funcionará (Imagem: VESA)
Monitores gamer aprovados contarão com um logo da certificação AdaptiveSync acompanhado da taxa máxima de atualização em que o VRR funcionará (Imagem: VESA)

Todos os monitores aprovados contarão com um logo da certificação acompanhado do número que representa a taxa de atualização máxima em que o AdaptiveSync funcionará. Um ponto importante é que a certificação AdaptiveSync não avaliará as taxas de quadros em perfil de overclock disponibilizado por algumas fabricantes (ex: modo de 180 Hz em um monitor de 165 Hz). O programa somente atuará para garantir a qualidade do VRR na taxa padrão do painel.

Certificação MediaSync para reprodução de mídia

Pensada para lidar com engasgos resultantes da reprodução de filmes e outros conteúdos com taxas de quadros menores que a atualização da tela, a certificação MediaSync é mais simples que a versão para games, mas ainda bastante exigente.

O foco é garantir as melhores condições de overshoot, undershoot, tempo de resposta (GtG), consistência de entrega de quadros e mais para uma experiência suave (Imagem: VESA)
O foco é garantir as melhores condições de overshoot, undershoot, tempo de resposta (GtG), consistência de entrega de quadros e mais para uma experiência suave (Imagem: VESA)

As avaliações de cintilação, overshoot e undershoot também estão presentes, mas o foco estará na sobreposição de quadros. Quando, por exemplo, um filme a 24 FPS é exibido em uma tela de 60 Hz, acontece o chamado 3:2 pulldown, em que frames pares são exibidos a cada 3 intervalos de atualização e frames ímpares a cada 2. Como consequência, o tempo de exibição de cada um varia entre 50 ms e 33 ms, respectivamente.

Com o MediaSync, os monitores deverão manter um tempo de exibição fixo, de 41 ms, com variação máxima de 1 ms entre eles, o que deve garantir uma reprodução mais suave. A organização testará todas as 10 taxas de quadros padrão para filmes e vídeos, com displays aprovados também trazendo um logo própria para esta certificação.

A certificação MediaSync também contará com um logo obrigatório próprio (Imagem: VESA)
A certificação MediaSync também contará com um logo obrigatório próprio (Imagem: VESA)

O novo programa AdaptiveSync Display CTS chega para acompanhar outras certificações importantes do órgão, incluindo a DisplayHDR, a Display Mount para encaixes de base e outros acessórios, além da própria conexão DisplayPort. Vale destacar ainda que o CTS cobrirá apenas monitores e painéis com DisplayPort, já que a conexão HDMI pertence a outro órgão certificador e atende a especificações diferentes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos