Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.734,64
    -1.107,84 (-3,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Versão paga do Twitter deverá permitir desfazer tuítes por US$ 3 ao mês

·3 minuto de leitura

Desde o início do ano que o Twitter estuda fontes alternativas para gerar receitas, já que a publicidade anda em baixa na sua plataforma. O Twitter Blue pode ser a solução apresentada: um perfil pago que contará com recursos exclusivos para seus assinantes.

De acordo com a engenheira reversa e vazadora de informações Jane Manchun Wong, uma das novidades que o Blue deve trazer é a opção de desfazer tuítes. O código foi encontrado na versão de testes mais recente do app do passarinho azul e permitiria apagar algo que foi postado indevidamente, além de retomar o post de onde parou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Os intervalos de tempo para desfazer tuítes poderão ser personalizados conforme a preferência do usuário, assim como os locais onde essa regra se aplicará: posts, respostas, citações e outros. A única restrição é que ele precisará ser feito ali, no exato momento da postagem — se deixar para depois, o jeito será apagar e recolocar o post no ar novamente.

A assinatura premium também contará com uma seção chamada “Coleções” para reunir e organizar os tweets favoritos do usuário. A ideia é centralizar todo conteúdo selecionado em uma aba única que facilite a localização posterior.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Será possível usar várias coleções personalizadas para agrupar os tweets conforme interesses, com cores diferentes e liberdade para separar os posts de acordo com as marcações do usuário.

Outra novidade que pode chegar para esses VIPs é o acesso a matérias dos portais noticiosos sem custo extra ou propagandas. Seria possível ter uma leitura "limpa" do conteúdo de sites diversos, fruto da tecnologia do Scroll, adquirida pelo serviço de microblogging no começo de maio.

Wong ressalta que o Twitter Blue poderia aplicar um modelo de preços por “pacotes de serviços”: quanto mais recursos, mais cara a assinatura. Ainda não há, contudo, qualquer informação que sustente tal afirmação e nem quais funcionalidades estariam incluídas.

O valor do serviço nos Estados Unidos será de US$ 2,99 (cerca de R$ 15,70). Não se sabe quanto vai custar em outras regiões, mas a tendência é que siga o padrão de preços praticado em dólar.

Recursos recentes do Twitter

Em fevereiro, o Twitter anunciou um recurso chamado “Super Follows”, que permitirá aos criadores cobrar de seus seguidores por conteúdo exclusivo. Outra novidade foi a liberação do botão de gorjetas para permitir mais apoio aos criadores de conteúdo, já que assim o usuário pode enviar recompensas em dinheiro para qualquer outro perfil da rede.

Gorjetas podem ajudar criadores de conteúdo a produzir mais no Twitter (Imagem: Divulgação/Twitter)
Gorjetas podem ajudar criadores de conteúdo a produzir mais no Twitter (Imagem: Divulgação/Twitter)

Com a chegada do Spaces para usuários com 600 ou mais seguidores, a rede social também pretende capitalizar em cima dos chats de voz. O objetivo é levar todas as ferramentas do microblogging também para as salas, além de garantir que os produtores de conteúdo possam gerar receita com conteúdos exclusivos na plataforma.

Você usar o Twitter na sua rotina? Tem planos de pagar para usar mais recursos na plataforma? Deixe a sua opinião nos comentários a seguir.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: