Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.426,00
    -522,45 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.831,95
    -213,15 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.861,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    54.435,02
    -3.961,95 (-6,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,14
    -65,80 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.704,54
    +15,87 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.870,95
    -60,10 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.255,96
    -35,24 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    25.319,72
    -330,36 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    29.683,09
    +84,43 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    16.494,75
    +13,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3313
    +0,0125 (+0,20%)
     

Vermes sacrificam a própria vida para alimentar os filhos, descobre estudo

·2 min de leitura

Durante anos, os pesquisadores observaram que os vermes produzem uma gosma quando morrem, e não tinham entendido ainda do que se tratava. No entanto, um novo estudo da University College London publicado na Nature Communications descobriu que essa secreção é uma espécie de leite, que os vermes deixam para seus filhos, numa espécie de sacrifício.

Esse leite é nada menos que o próprio intestino do verme. O estudo examinou esse processo em Caenorhabditis elegans, lombrigas transparentes de um milímetro. A proposta foi entender como isso está associado a vias químicas que controlam o processo de envelhecimento.

Os vermes são hermafroditas, o que significa que possuem anatomia masculina e feminina. Portanto, um verme pode se fertilizar, mas fica sem esperma antes de ficar sem óvulos. Quando o esperma acaba, ele expele seus óvulos não fertilizados restantes e se autodestrói, pois não pode mais se reproduzir. Esses vermes em particular são organismos semíparos, o que significa que se reproduzem apenas uma vez.

(Imagem: Reprodução/University College London)
(Imagem: Reprodução/University College London)

Segundo o estudo, os nematoides ( vermes de tamanhos bastante variáveis e geralmente abundantes no solo e na água) são mais saudáveis ​​e vivem mais com essa via suprimida, considerando que eles não podem mais esvaziar seus intestinos. Uma vez que essa via é suprimida, a produção de leite é interrompida e o tempo de vida se estende.

E se desligar essa secreção, a prole não sofrerá, porque o leite é mais como um último esforço quando a comida é limitada. Os vermes subsistem de bactérias e, quando há escassez de micróbios, produzem esse leite. A prole pode sobreviver enquanto houver nutrientes suficientes para todos.

Agora, os pesquisadores estão interessados em aprender mais sobre as vias pelas quais essa produção de leite ocorre. Pesquisas adicionais sobre essa secreção podem nos dizer mais sobre o envelhecimento. Não só dos vermes, mas de outras espécies também. O estudo completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos