Mercado fechará em 6 h 25 min

#Verificamos: É falso que prefeito de São Paulo usou cloroquina em seu tratamento para Covid-19

Circula nas redes sociais que o atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), usou a cloroquina, medicamento usado no tratamento e profilaxia da malária, em seu tratamento de Covid-19. De acordo com o conteúdo, Covas teria dado esta informação à CNN Brasil. O prefeito contraiu a doença em 13 de junho, e já está curado. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

Reprodução

“A POPULACAO NAO pode tomar, esse canalha usou o remédio!
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas está com Coronavírus e sem surpresa alguma, disse na CNN Brasil que faz uso de cloroquina e azitromicina.
E você ai, defendendo especialista que não sabe a diferença de um comprimido para um supositório.”
Frase publicada no Facebook que, até o dia 29 de junho, foi compartilhada por 211 pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), não disse que usou cloroquina em seu tratamento para Covid-19 em entrevista à CNN. Em reportagem, o canal de televisão mostrou apenas uma publicação feita pelo tucano no Instagram, em que afirma que o remédio prescrito por seu médico foi a azitromicina. Informação também publicada por outros veículos da imprensa (aqui e aqui). A cloroquina não foi mencionada.

Em 15 de junho, após ser diagnosticado com a doença, ele publicou um vídeo em seu perfil pessoal no Instagram dizendo que seu médico receitou azitromicina.  “Em nome da transparência que entendo necessária quando um político adoece, esclareço que estou tomando o medicamento prescrito pelo meu médico: Azitromicina”, diz. 

A azitromicina é um antibiótico, ou seja, serve como tratamento para doenças causadas por bactérias. Logo, não tem efeito direto no novo coronavírus. Contudo, em alguns casos, a Covid-19 pode vir acompanhada de infecções bacterianas secundárias, e a azitromicina pode ser útil.

Covas tampouco proibiu o uso de cloroquina na rede municipal de saúde. Em 9 de maio, o prefeito autorizou a inclusão do remédio no protocolo de tratamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O protocolo ainda está em exercício no município, mesmo com posição contrária publicada em Nota Técnica pelo Conselho Municipal de Saúde.

A orientação mais recente da prefeitura foi publicada em 12 de junho. Na nota técnica, a SMS não recomenda, mas não proíbe, o uso da droga em casos leves e moderados da doença, “em virtude da ausência de evidências científicas robustas que justifiquem tal indicação”. No Brasil, o protocolo mais recente publicado pelo Ministério da Saúde permite o uso de cloroquina, inclusive para crianças e gestantes.

Covas informou ter testado positivo para a doença em 13 de junho deste ano. Onze dias depois, anunciou que completou o período de isolamento sem manifestar sintomas e recebeu autorização médica para retomar as atividades.

Afirmações similares foram verificadas pelas plataformas de checagem Aos Fatos e Comprova.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés