Mercado fechado

#Verificamos: É falso que Maria do Rosário defendeu que presos com indulto sejam acolhidos em ceia de Natal

(Foto: Reprodução)

por Maurício Moraes

Circula pelas redes sociais a imagem de um tuíte atribuído à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) em que a parlamentar defende que cada família receba um preso com indulto na ceia de Natal. De acordo com o texto, 33 mil pessoas vão ter direito ao benefício nesse período e essa seria uma atitude humana com os detentos. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

(Foto: Reprodução)

“São mais de 33 mil vítimas da sociedade que terão indulto de Natal. Esses coitados vão pra casa e o que vão ter de ceia? Nada! Se cada família receber um preso na sua ceia, no seu seio, seremos mais humanos! #CampanhaDaCelaPraCeia”

Tuíte atribuído à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) em post no Facebook que, até as 15h de 4 de novembro de 2019, tinha 517 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Uma busca no perfil oficial da deputada federal Maria do Rosário no Twitter mostra que ela nunca fez campanha para que as pessoas recebessem presos com direito a indulto para a ceia de Natal. Em um tuíte publicado em 29 de dezembro de 2015, ela já havia desmentido a informação, em resposta a um usuário. “É uma mentira esta notícia citando meu nome sobre indulto. Envolver o nome de uma pessoa com estas coisas é crime”, escreveu. Em nota, a assessoria de imprensa da parlamentar afirmou se tratar de um tuíte falsificado desde 2015, que volta a circular a cada final de ano.

Há vários outros indícios de falsificação na imagem. O perfil que aparece no post analisado pela Lupa, @_mariadorosario, não existe. A conta oficial da parlamentar é @mariadorosario, sem o sinal de underline entre a “@” e o “m”. Também existem problemas de formatação, como “natal” grafado em letras minúsculas e “Ceia” com a primeira letra em maiúscula. Além disso, o espaçamento é irregular entre as linhas, com tamanhos diferentes de letras, o que mostra que o texto foi forjado e se trata de uma montagem grosseira.

O conteúdo da mensagem também está equivocado. O indulto de Natal não é uma autorização de saída temporária de detentos, mas um perdão concedido pelo Estado aos condenados pelos seus crimes. Ou seja, aqueles que recebem o benefício têm as suas penas extintas. O último indulto foi concedido pelo presidente Michel Temer (MDB) em 2016. O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o indulto de Temer em 2017, por uma liminar, porque poderia beneficiar até mesmo pessoas condenadas por corrupção. O texto do decreto acabou validado pelo tribunal este ano. Em 2018, pela primeira vez não foi editado indulto.

Uma checagem semelhante foi feita pelo Boatos.org.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook