Mercado abrirá em 6 h 3 min

#Verificamos: É falso o tuíte de Carlos Bolsonaro sobre app do partido Aliança pelo Brasil

Reprodução

por Maurício Moraes

Circula pelas redes sociais um post com a reprodução de um tuíte atribuído ao vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) sobre o novo partido Aliança pelo Brasil. A legenda será criada com a saída de seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, e outros políticos do PSL. Segundo a mensagem, haverá um aplicativo e um site para coletar as assinaturas necessárias para formar o partido. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

Reprodução

“Pessoal esta (sic) sendo criado um app e um site para a filiação do partido, Aliança pelo Brasil, quando estiver pronto esteremos (sic) disponibilizando a todos e será o maior partido do Brasil. Compartilhem ao máximo para que todos tenham conhecimento desse novo app que estará disponível”

Tuíte atribuído ao vereador Carlos Bolsonaro em post no Facebook que, até as 11h de 14 de novembro de 2019, tinha 6,9 mil compartilhamentos

FALSO

O tuíte analisado pela Lupa é falso. A mensagem não foi publicada por Carlos Bolsonaro, mas por um perfil fake, que já foi tirado do ar. No endereço dessa conta, as letras “O” foram trocadas por zeros.Todas as outras letras estão em maiúsculas, para dificultar a visualização desse detalhe e torná-la semelhante à conta oficial do vereador. A imagem de um diamante azul também foi colocada ao lado do nome e de uma bandeira do Brasil, para simular o símbolo de conta verificada.

Os perfis oficiais de Carlos no Twitter e em outras redes sociais estão desativados desde o dia 12 de novembro – data em que foi anunciada a saída do presidente do PSL e a intenção de criar o novo partido Aliança pelo Brasil. Logo, ele não poderia ter publicado o tuíte. Além disso, o texto não aparece na lista compilada de posts do político. O motivo da desativação das contas não foi esclarecido, mas o Twitter e o Facebook, que é dono do Instagram, afirmaram à Lupa não terem sido responsáveis pela medida. Nesta semana, um post falso culpou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes pela decisão. O STF também desmentiu a informação.

Quando foi anunciada a criação do Aliança pelo Brasil, parlamentares que devem migrar para a nova sigla afirmaram à imprensa que a ideia era usar um aplicativo para fazer parte da coleta das cerca de 500 mil assinaturas necessárias. A coleta por meio digital, no entanto, precisaria ser aceita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para concorrer às próximas eleições municipais, a nova legenda precisa ser criada até março do ano que vem.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook