Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.414,08
    -3.619,41 (-9,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Vereador de Ribeirão Preto (SP) retira moção de repúdio contra Papai Noel gay da Noruega

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O vereador de Ribeirão Preto (SP) André Rodini (Novo) retirou nesta quinta-feira (2) sua proposta de moção de repúdio contra o serviço de correios da Noruega por circular uma propaganda em que apresentava um Papai Noel homossexual.

A peça publicitária celebra os 50 anos do fim da lei que proibia relações homoafetivas no país por meio da história de um homem de meia idade que recebe visitas anuais do bom velhinho —com quem passa a se relacionar a cada Natal.

A moção de repúdio, aprovada nesta semana, gerou fortes reações nas redes sociais.

"A proporção que isso tomou foi fruto de um mal-entendido multiplicado em todas as formas. A moção se referia à sexualização do Papai Noel e do fim da inocência do personagem", afirmou Rodini durante discurso do plenário da Câmara Municipal de Ribeirão Preto.

"O Papai Noel não é nem homem nem mulher nem nada, ele é um espírito, ele representa o espírito natalino", seguiu.

A proposição do vereador do Novo também se estendeu ao site G1, que publicou notícia sobre a propaganda, e à repórter que assinou a matéria.

O parlamentar de Ribeirão Preto destacou nesta quinta que se referia apenas "à sexualização das crianças" e disse que foi alvo de ataques por causa da moção.

"Quero me redimir com as pessoas que se sentiram ofendidas com a minha posição, quero me redimir com os colegas que passaram por uma saia justa tendo que votar o que não queriam votar", afirmou Rodini na tribuna da Casa.

"E, principalmente, à minha família, que foi covardemente atacada pelas pessoas mal-intencionadas, que querem fazer o jogo sujo da política. Agradeço a todos os presentes que me apoiaram, à minha família e, acima de tudo, a Deus", finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos