Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.044,98
    -109,44 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Verba para saúde pública pode ter perda de R$ 25 bilhões em 2022

·2 minuto de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Como efeito da pandemia, há a possibilidade de em 2022 se reduzir verba da saúde pública;

  • De acordo com a lei do teto, essa alteração é a da inflação em 12 meses até junho do ano precedente;

  • Como resultado, o menor valor a ser posto na saúde em 2022 é de R$ 134,1 bilhões.

Com o fim do orçamento extraordinário criado pelo governo em dezembro, efeito criado pela pandemia de Covid-19, há possibilidade de se reduzir em R$ 25 bilhões a verba destinada à saúde pública em 2022.

O motivo é que as despesas em saúde voltarão a cumprir o teto de gastos, limitando o aumento de custos à variação da inflação do ano anterior.

Leia também:

Segundo a lei do teto, essa alteração é a da inflação em 12 meses até junho do ano precedente. No período, a inflação concentrou 8,35%. Como efeito, o menor valor a ser posto na saúde em 2022 é de R$ 134,1 bilhões.

O Ministério da Economia enviou a proposta de orçamento ao Congresso nacional em agosto, na qual prevê para o ano que vem o valor de R$ 134,4 bilhões em despesas para a saúde, quantia levemente acima do mínimo estipulado pela lei do teto.

A despesa total com saúde em 2021 tende a passar esse número, como efeito dos gastos extras ocasionados pela pandemia de Covid-19. Contudo, o Tesouro Nacional diz que o número final se sujeita às informações a serem mandadas pelo Ministério da Saúde.

Ainda que o governo tenha proposto R$ 134,4 bilhões para a Saúde no ano que vem, valor levemente acima do gasto mínimo fixado na regra do teto de gastos, o Ministério da Economia afirma que o número poderá ser aumentado posteriormente.

As informações são do G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos